Blog

18
dez

Em Frente: filme propõe o despertar para a mudança social

Por: Ana Paula Santos

Inspiração para a transformação social. É nisso que o Social Good Brasil acredita. Após a experiência em produzir nosso primeiro documentário média-metragem, o Conectados Transformamos (2014), buscamos parceria com os diretores Carol Gesser e Will Martins para a produção de um novo filme. O documentário está em fase de pós-produção e aberto para captação de recursos via Lei Rouanet de Incentivo à Cultura. Assista ao teaser e confira o material promocional aqui.

foto doc 2 (3)
Sassaki, cofundador da Geekie e Carol Gesser, diretora do filme.

Por acreditar no poder do audiovisual para inspirar e engajar pessoas, foi cocriada uma linha narrativa que pretende mostrar o lado humano de cada personagem, bem como as perguntas que eles não costumam responder para jornais e revistas. Foram escolhidos quatro dos nomes brasileiros mais relevantes no universo dos negócios sociais que, através de um uso inovador da tecnologia, tem se destacado mundialmente em questões como economia colaborativa, participação cidadã, novos modelos educacionais e acessibilidade. Tudo isso pra deixar quem está do outro lado da telinha com vontade de também agir pela mudança que deseja ver no mundo.

Para Carol Gesser, que participou do SGB Lab em 2014 com um projeto que envolvia desenvolvimento de conteúdo audiovisual sobre inovação social, o SGB se tornou um parceiro para a vida, pois de certa forma o filme é parte do seu projeto. “Tivemos a possibilidade de cocriar com várias pessoas para ver como podemos usar o audiovisual para impactar as pessoas. Conhecemos personagens inspiradores que acabaram transformando a nossa vida e tentamos imprimir isso no filme, pois cada montagem é uma realização direta do que o realizador viveu. Queremos que as pessoas assistam ao filme e sintam que também são capazes de fazer parte da mudança que desejam ver no mundo”, disse.

Bruno Aracaty (Colab.re), Claudio Sassaki (Geekie), Lorrana Scarpioni (Bliive) e Ronaldo Tenório (Hand Talk) representam um movimento contemporâneo e global de empresas que buscam não apenas o lucro, mas uma nova perspectiva para nossa sociedade. Os personagens também representam a diversidade que só o Brasil tem. Cenários como praias paradisíacas de Maceió à eletrizante noite de São Paulo foram algumas das locações para o novo filme, que também passou por Curitiba, João Pessoa e Recife.

Já para Will Martins, ao ouvir os desejos e ideias vindas da cocriação, foi o primeiro passo no mergulho daquelas histórias. “Nossa intenção é dar um outro recorte do que estamos acostumados a ver em filmes de empreendedorismo social. O resultado final, a tecnologia criada pelos personagens, todos podem ter acesso. Mas a tecnologia partiu de algo que é muito humano e isso é o que queríamos descobrir. Queremos que as pessoas que assistam sejam impactadas pelo que vimos, pelo desejo de mudança que vimos em todos os empreendedores, como se fosse um despertador. Você pode não perceber mas tem algo perto de você”, conclui o diretor.

Conheça um pouco mais de cada personagem:

LorranaLorrana Scarpioni

Após assistir a um documentário, Lorrana teve a ideia de criar o Bliive, uma plataforma para a troca de tempo. Funciona como um banco de tempo virtual onde seria possível compartilhar esse recurso com qualquer pessoa no mundo. A rede com usuários em 152 países e mais de 110 mil horas trocadas.

Considerada um dos 10 brasileiros mais inovadores com menos de 35 anos pelo Prêmios MIT Technology Review Innovators under 35 (2014). Global Agenda Council in Creative Economy e Global Shaper pelo Fórum Econômico Mundial. Escolhida pela Revista ProXXima como terceiro profissional mais inovador em marketing e comunicação (2014), também foi vencedora do Prêmio Jovens Inspiradores (2013).

 

lei_rouanet_12-17

Bruno Aracaty

Bruno, criou o Colab.re com três amigos que se tornaram sócios: Gustavo, Paulo e Josemando. Hoje comandam a startup que é canal oficial de comunicação em mais de 60 Prefeituras no Brasil e conta com mais de 50 mil usuários no país. Eleito pela ONU entre os 5 melhores apps de Governo e Participação do Mundo (2015), a startup foi eleita pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) como a Inovação Tecnológica de Maior Impacto (2015). Também foi eleito melhor app urbano do Mundo pela New Cities Foundation (2013).

lei_rouanet_12-14Claudio Sassaki

Claudio e Eduardo Bontempo cofundaram a Geekie em 2011, plataforma online adaptativa com aulas em vídeo e texto que permite um ganho médio de 30% no aprendizado e que conta com mais de 3 milhões de alunos alcançados em cerca de 650 escolas. Prêmio Global de Empreendedorismo Social Schwab Foundation (2015). Também foram vencedores do Prêmio Empreendedor Social da Folha de S. Paulo (2014). A sua empresa foi considerada a melhor startup da América Latina IBM SmartCamp (2013) e é certificada como Empresa B: aquelas que buscam ser as melhores para o mundo

RonaldoRonaldo Tenório

O alagoano criou, junto com os amigos Carlos e Thadeu o negócio social Hand Talk, que realiza a tradução para libras por meio de um simpático intérprete virtual, o Hugo. Considerado um dos 10 brasileiros mais inovadores com menos de 35 anos pelo Prêmios MIT Technology Review Innovators under 35 (2015). Ronaldo foi considerado Empreendedor Social de Futuro do Ano pela Folha de São Paulo (2014). A startup também foi vencedora do prêmio Qprize (2014) como mais inovadora da América Latina.Eleito pelo BID uma das 16 Startups mais inovadoras da América Latina. Demand Solutions (2014) e  pela ONU o Melhor app Social do Mundo. WSA-mobile Abu Dhabi (2013). Em 2012, foi considerado o projeto mais inovador do Brasil no Salão da Inovação. Rio Info (2012).

Sobre os Diretores

CAROL GESSER produziu na Novelo Filmes os curtas-metragens “Qual Queijo Você Quer?”, “O Tempo Que Leva” e os longas metragens documentais “Nem Caroço Nem Casca” (2013, vencedor do prêmio de Melhor Filme e Melhor Documentário no Festival Guarnicê de Cinema 2014), “Ao Som do Chamamé” e “Corpo Vodu” (inédito, 2015). Formada em Cinema pela UFSC, possui Pós-Graduação em “Gestão de Empreendimentos e Cidades Criativas” pela Universidade Nacional de Córdoba (Argentina).

WILL MARTINS é diretor, produtor, roteirista e assistente de direção. Cursou Cinema e Vídeo na Universidade do Sul de Santa Catarina, iniciando seu trabalho com audiovisual em 2004. Sócio da Novelo Filmes, dirigiu e roteirizou o longa documentário “Nem Caroço Nem Casca”, selecionado para vários festivais nacionais e internacionais, incluindo 4 prêmios (entre eles Melhor Filme) no Festival Guarnicê de Cinema 2014. Em 2015, lançará seu segundo longa-metragem, “Corpo Vodu”.

noseminario
Ronaldo Tenório, Will Martins, Ana Paula Santos e Carol Gesser, no Seminário SGB 2015.
Avalie este post

Avalie os seus casos social good preferidos selecionando as estrelinhas abaixo!



Comentários


Veja mais histórias inspiradoras