Blog

28
jul

Empreendedora social das Filipinas entra na lista da Forbes

Por: Bibiana Beck

*Por Mick Basa, do Rappler.com

Uma jovem filipina de 29 anos de idade que abriu oportunidades para mulheres em um dos maiores aterros sanitários das Filipinas, entrou na lista 2015 de empreendedores sociais com menos de 30 anos da Forbes.

A cofundadora da Rags2Riches, Reese Fernandez-Ruiz está entre as 30 pessoas apontadas pela revista de negócios americana, famosa por elaborar listas de pessoas em base a características que são publicamente reconhecidas.

Ruiz

A iniciativa social de Ruiz começou em 2007, quando ela descobriu a necessidade de ajudar mulheres no aterro sanitário de Payatas, em Quezon City. Começou como um pequeno projeto de subsistência com um objetivo enorme: tirar as famílias da pobreza.

O Rags2Riches ajuda as mulheres a ter uma receita com a qual podem viver, trabalhando com a reutilização de panos, materiais orgânicos e tecidos naturais.

“A competição para entrar em nossa terceira lista anual dos 30 Empreendedores Sociais com menos de 30 anos foi dura”, comentou no site da revista Erine Carlyle, membro da equipe da Forbes. De acordo com a Forbes, a empresa de Ruiz marcou consistentes 100% de taxa de crescimento anual em seus 5 anos de operação (2007-2012).

A lista dos 30 Empreendedores Sociais com menos de 30 anos da Forbes está agora em seu terceiro ano. A revista publica uma lista anual das pessoas mais ricas do mundo.

Segundo Carlyle, mais de 100 pessoas foram indicadas, mas o número foi reduzido a 30 depois de um processo de eliminação conduzido pelos jurados Jean Case, cofundador da Case Foundation, Chery Dorsey da Echoing Green e o editor-chefe da Forbes Randall Lane.

Ruiz está na lista junto com Kiah Williams (28 anos), cofundadora de uma organização sem fins lucrativos que distribui mais de US$ 3 milhões em medicamentos para 20 mil pacientes nos Estados Unidos; e Minhaj Chwodhury (25 anos) que ajudou a limpar água potável para ao menos 200 milhões de pessoas em Bangladesh e na Índia.

As empresas sociais são negócios desenhados em base a modelos do capitalismo tradicional, mas com soluções que buscam lidar com objetivos de longo prazo como a redução da pobreza.

Nas Filipinas, as empresas sociais servem a ao menos 2,5 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza, de acordo com um estudo encomendado pela Oxfam.

Este texto foi publicado originalmente na plataforma do Rappler.com, maior portal de notícias das Filipinas. Leia no idioma original aqui.


Comentários


Você poderá gostar também de...