Blog

02
set

Por um futuro onde trabalhar com propósito seja regra (e não exceção)

Por: Ana Paula Santos

A tecnologia e o empreendedorismo estão mudando o jeito que a gente vive, trabalha e investe nosso tempo e dinheiro. Estamos em meio a uma revolução que nos faz rever diversos modelos. A forma que apoiamos causas e fazemos filantropia é um exemplo. As novas ferramentas disponíveis para resolver problemas sociais estão promovendo uma disrupção na forma que empresas e pessoas agem.

Estamos desafiando o mercado a usar seu poder para fazer a diferença no mundo. Com a profusão de dados a que temos acesso, está cada vez mais fácil medir o impacto (negativo ou positivo) do que consumimos e fazemos. Novos negócios que vão muito além de perseguir apenas lucro estão surgindo. E até mesmo negócios já existentes estão se reconstruindo em torno do bem social.

Entre ter impacto positivo e ganhar dinheiro… Fique com os dois
FW__7511
Claudio Sassaki, co-fundador da Geekie, é um exemplo de empreendedor que fez essa opção

Lá em 1889, Andrew Carnegie, um dos homens mais ricos da história, escreveu um ensaio chamado “Fortuna”. Lá ele dava o conselho de passar a primeira parte da sua vida recebendo o máximo de educação que puder, a segunda ganhando todo o dinheiro que puder e a terceira doando este dinheiro todo para causas que valem a pena. Hoje, isso mudou. Fazer o bem é uma missão para toda vida – não apenas para sua terceira fase – e pode existir integrada com a sustentabilidade financeira.

Princípios importantes do mundo dos negócios estão sendo aplicados por esta nova geração de agentes de transformação. Um exemplo são as métricas focadas em resultados. O “altruísmo efetivo” é um movimento crescente. Em vez de decidir apoiar organizações meramente por razões emocionais, a mensuração de impacto real tem sido decisiva na tomada de decisão.

Em maior ou menor escala, todos os negócios começaram com um senso de propósito. O modelo de impacto das empresas e da sua carreira é, muitas vezes, uma redescoberta do que você consegue fazer com os recursos e habilidades que possui. E se as empresas se transformarem em uma força para o bem, as pessoas trabalhando para elas também estarão muito mais motivadas e estimuladas a transcender e darem o seu melhor – pela empresa e pelo mundo.

Muitos desafios, muitas oportunidades

Pessoas em situação de pobreza, por exemplo, não são apenas um caso para caridade. Também podem ser vistos como um público importante para inovações disruptivas, ávidos por produtos que combinem com suas necessidades e bolsos. A criação de soluções eficazes e mais baratas do que as existentes no mercado é uma das várias formas possíveis de atuação.

As oportunidades para utilizar o poder do mercado e a tecnologia para o bem social são enormes. Especialmente para próxima geração de agentes de mudança, que dominam as novas ferramentas e podem construir em cima da ideia de que não é necessário colocar o impacto social de um lado e o modelo de negócio ou a carreira do outro. É possível criar modelos híbridos e oportunidades incríveis. A viabilidade do seu plano ou produto irá depender se é ou não capaz de ajudar a resolver os problemas mais urgentes da sociedade.

Hoje as corporações ou os empresários, que estão ligando os pontos entre problemas sociais e negócios, estão sendo vistos como “empresas faróis” ou os novos  líderes do futuro. E os indivíduos que forem capazes de fazer o mesmo tem ótimas chances de se colocarem bem neste mercado mercado crescente.

Compromisso com impacto será a regra (e não a exceção)

Estamos caminhando para um mundo com mais colaboração. Parcerias onde, em vez de perguntar o que ganham com isso, os envolvidos enxerguem vantagens em simplesmente agirem juntas e ganharem força desta forma. Empresas que atuam na mesma indústria possuem um impacto cumulativo, fazendo o uso constante de recursos semelhantes. Nada mais justo que busquem soluções cumulativas em conjunto, para maximizar os benefícios para as comunidades onde operam.

O mesmo vale para as pessoas que desejam atuar junto a este tipo de empresa e ter um impacto social real no mundo. Novas formas de trabalhar estão surgindo com a tecnologia e as novas noções de empreendedorismo. As paredes dos escritórios dão lugar ao mundo. A possibilidade de trabalhar de qualquer lugar que tenha conexão com a internet (e também com o seu propósito) já é uma realidade inspiradora.

ligia
Ligia foi premiada pela sua iniciativa: uma plataforma para mães com textos produzidos por mães de vários lugares do Brasil

E convenhamos: para uma vida completa, a busca por propósito pode ir muito além do seu trabalho. Quem aí já assistiu Amélie PoulainO filme encanta e toca por contar a história de uma garota simples que trabalha em um café na França. O que torna a sua história extraordinária é que a partir de um acontecimento aparentemente banal, como encontrar uma caixa em seu apartamento, ela descobre uma razão para existir. Ao abrir a caixinha e ajudar os outros, Amélie se abre para o mundo e para a vida.

No fim das contas, é isso o que vale: encontrar um propósito. Algo que te motive e dê razão para acordar todos os dias com um sorriso no rosto e a certeza de estar deixando algo de bom por onde passar. Já parou pra pensar onde está escondida a sua caixa?

MUITO OBRIGADA A TODOS QUE SE INSCREVERAM PARA SER UM FELLOW SGB <3 As inscrições para participar desta edição do SGB Fellow – programa de formação para mobilização e transformação social – estão encerradas. Mas se você precisa de uma força para encontrar sua caixinha, cadastre-se para receber as novidades do Agente SGB.

Em breve queremos estar perto de você te apoiando neste caminho. 😉


Comentários


Você poderá gostar também de...