Blog

14
maio

Gravidez Invisível: blog quer mudar a forma que você vê a adoção

Por: Ilana Cardial

O Gravidez Invisível nasceu há 6 anos, quando a Luciane Cruz resolveu que queria trazer um novo olhar sobre a adoção no Brasil. Com mais de 26 mil curtidas no Facebook, o blog da mãe do Noah e do Luca conta atualmente com seis colunistas e diversos parceiros. O projeto é uma fonte de conhecimento sobre o processo de adoção – ou a gravidez de coração, como diz a autora – e a formação de uma família com filhos adotivos.
_DSC0224

Em 2011, Luciane deu início ao processo de habilitação para adoção. Ela estava começando sua de gestação. Na internet, encontrou pouquíssimos canais que transmitissem o sentimento de gravidez quando o assunto era uma mulher que está prestes a ter um filho por meio da adoção. Sentindo-se mal representada, Luciane criou o blog com a intenção de ajudar outras famílias e se conectar a quem compartilhasse desses pensamentos. “Hoje, minha maior motivação de seguir em frente nesta minha caminhada em busca da humanização do processo de adoção é ver que famílias se sentem representadas e empoderadas, isso não tem preço!”, nos conta a criadora do Gravidez Invisível.

Um dos diferenciais do blog é o Dicionário da Gestação do Coração e da Adoção criado também pela Luciane Cruz. Através dele é possível compreender como um processo de adoção é sim uma gravidez. Essa gestação no coração é o termo que denomina todo o período de adoção de uma criança. O grande positivo para o processo adotivo é o deferimento da habilitação para adoção. Há o período pré-natal, em que ocorre o acompanhamento psicológico. E o momento emocionante do encontro com o filho, chamado de parto do coração._DSC9983

“Sempre quis ser mãe e para mim a questão nunca foi a forma como meus filhos chegariam, mas sim o fato de que eles precisavam chegar”, diz Luciane. Ela descreve a maternidade como um grande presente e, ao mesmo tempo, um desafio diário de cumplicidade, paciência e amor incondicional. “Sou uma mãe muito realizada, meus filhos são muito fofos”, conta com carinho essa mãe que, aos poucos, vai usando a internet para mudar a forma com que enxergamos a gravidez, a adoção e a formação de uma família.

Avalie este post

Avalie os seus casos social good preferidos selecionando as estrelinhas abaixo!



Comentários


Veja mais histórias inspiradoras