Blog

14
nov

Tudo sobre o treinamento dos Fellows SGB 2017

Por: Cintya

Foram meses de campanha, um processo seletivo e cuidado e olhar voltado para diversidade para, depois de muitos contatos online, conhecermos de pertinho quem são os Fellows 2017. Eles e elas são 20 pessoas incríveis vindas de 15 diferentes estados do país com uma enorme vontade e energia para fazer a transformação acontecer. Em quatro dias, esses protagonistas já nos conquistaram e mostraram ao que vieram <3

Neste post, você fica por dentro do que rolou durante o treinamento de Fellows e a atuação deles no Festival SGB. A proposta do treinamento é garantir que os participantes tenham uma experiência imersiva que una teoria e prática em um ambiente inovador. Reuní-los no SESC Cacupé e na ACATE facilitou a troca de vivências e proporcionou reflexões relacionadas à liderança, engajamento e facilitação de grupos.

23270579_1481500068570028_6923038489085806690_o

A metodologia que usamos no treinamento dos Fellows foi  inspiração para dividir os momentos da experiência no Festival SGB. São eles: Olhar Além, focado em inspiração e aprendizado do que está acontecendo por a;, Olhar para Dentro, voltado para o autoconhecimento; e Mão na Massa, a hora de colocar em prática os novos aprendizados.

OLHAR ALÉM 

– Boas vindas e Apresentação dos Fellows 2017

Antes mesmo de conhecer os Fellows pessoalmente, a Sílvia Luz – coordenadora do SGB na Rua – pediu a cada um deles que trouxessem para o treinamento em Florianópolis um objeto que os representasse. Com essa proposta, ao chegar no SESC Cacupé, cada um dos participantes se apresentou e explicou a razão pela qual escolheu aquele item.

Um a um, os objetos foram colocados no centro do círculo acompanhados da história que os fizeram estar ali. A Sil utilizou a metodologia Circle Practice (Prática do Círculo) baseada na Art of Hosting (Arte de Anfitriar). Aos poucos, explicou os princípios de um círculo e como essa disposição é uma forma historicamente democrática e mais aberta à comunicação. “Sem a hierarquia, estamos um ao lado do outro, em igual posição. Em um ambiente como esse, não podemos esquecer de duas coisas: falar com intenção e ouvir com atenção”, disse ela.  A Maytê Santos Albadía, nossa Fellow de Madri que vive em São Paulo, conta que sentiu muita conexão logo de cara com a turma de Fellows. “Ninguém se conhecia direito, não sabia o nome de ninguém, mas eu senti uma conexão real. Foi uma coisa mágica.”

festival-sgb-impacto-55

–  Novo SGB e nossa metodologia

Você que nos acompanha sabe que o SGB está passando por uma transição e estamos com o olhar cada vez mais voltado para o futuro da nossa organização. A Carolina de Andrade, nossa diretora-executiva, participou do treinamento falando sobre as propostas, motivações e intenções para os próximos 5 anos de SGB.

Em seguida, a Sil contou sobre o SGB na Rua, novo nome da nossa Aceleradora de Protagonismo Social e explicou sobre o papel dos Fellows em nossa organização e como funciona essa relação, além de descrever os momentos da agenda dali pra frente:

 

OLHAR PARA DENTRO

Liderança e Facilitação de grupos, com Manifesto 55

Hora de aprender sobre liderança, engajamento e facilitação de grupos com especialistas: nossos  parceiros da Manifesto 55. O Henrique e a Florentine Vedana, fundadores da Manifesto, levaram aos Fellows sua experiência em facilitação de grupos. A empresa atua em todo o Brasil oferecendo cursos e programas abertos e customizados sobre potencial criativo, educação protagonista e transformação social. Eles também co-criaram com o SGB o toolkit Essência Protagonista, que vai ser usado pelos Fellows durantes suas atividades ao longo do ano. No treinamento, o papel da Manifesto foi despertar nos Fellows um novo olhar sobre exercer um papel de liderança, de forma mais empática, dinâmica e que empodere as pessoas.

23275661_1481488658571169_8142881403929111128_o

Primeiro, rolou uma dinâmica de dança. Depois, foi o hora de discutir e analisar o comportamento das pessoas em grupos a partir da experiência na dinâmica e aprender algumas ferramentas práticas para manter a energia do grupo sempre no alto. A Maytê contou que adorou a metodologia do Equalizador de Energias. “Sinto que tenho dificuldades em controlar a energia do grupo e como lidar com essas diferenças, então foi de muita ajuda a ferramenta para pensar nas dinâmicas”.

 

MÃO NA MASSA

Mobilização e engajamento de pessoas na prática, com Greenpeace Brasil.

A galera do Greenpeace propôs reflexões sobre engajamento e mobilização de pessoas online e offline. A Heloísa Mota, coordenadora de Mobilização Offline da Organização no Brasil, bateu um papo com os Fellows sobre a importância de diversos tipos de ativismo. O “ativismo de sofá”, por exemplo, costuma ser muito criticado; mas ele pode ter muita importância na hora de divulgar uma causa que precisa chegar até as pessoas certas e na arrecadação de recursos financeiros.

23334053_1481498561903512_4425351294509291442_o

O autoconhecimento também é muito importante: para mobilizar e engajar pessoas para uma causa, cada um precisa transmitir confiança e entender quais são suas principais forças e fraquezas.  A tarefa dos Fellows foi montar uma campanha de engajamento para a jornada de ações e facilitações que eles farão no próximo ano. O Pedro Ceron, Fellow de Lages/SC, curtiu muito a conversa. “Consegui ter uma reflexão bem grande sobre como criar movimentos e empoderar pessoas para que elas criem suas próprias iniciativas. A força de tudo está nas comunidades.

Workshop com Fellows Amaphiko – Aquário e Criação de ações de Conexão

O Gab Gomes, da Shoot the Shit, e a Renata Minerbo, da Acupuntura Urbana, representaram a Red Bull Amaphiko no Festival SGB e no treinamento dos Fellows. A tarefa deles foi provocar uma discussão profunda sobre o que é ser um causador e um influenciador.  A metodologia escolhida foi o Aquário. Funciona assim: forma-se um círculo de pessoas com quatro cadeiras no centro. Três pessoas ficam lá, e uma cadeira deve estar vazia. Esse espaço vazio vai sendo preenchido por pessoas de fora da roda, que vão se revezando para ficar no meio e conduzir a conversa, em torno de uma pergunta norteadora. Nesse caso, ela foi “quem é o protagonista?”.

23117035_1476371752416193_4189083360225800393_o

Para a Mayte, a conversa fluiu super bem. “Rolou um super papo, foi muito fluido, todo mundo participou e foi uma conversa bem profunda. Eu já tinha vivenciado outros aquários e nunca vi rolar tão bem.” Esse workshop serviu ainda para os Fellows pensarem em algumas intervenções criativas no espaço do Festival SGB. A Letícia Jorge, nossa Fellow aqui de Florianópolis, completa “tínhamos recursos limitados, mas as 10 intervenções que saíram foram muito legais!”.

Festival SGB

O grande momento do SGB no ano também foi uma experiência incrível para os Fellows. Eles subiram ao palco junto com a Silvinha na hora da apresentação do SGB na Rua e acompanharam de perto a apresentação do Alonso Neto e da Tatiana Bittencourt, Fellows SGB da turma de 2016. Também colocaram em prática pela primeira vez os conhecimentos e as técnicas aprendidas durante o treinamento, atuando como moderadores das rodas de conversa, no sábado de manhã. “Todo mundo estava nervoso, mas foi bom porque é uma experiência na prática. É ótimo poder facilitar uma conversa, ter contato direto com quem está falando, conhecer quem está participando da roda e fortalecer o networking entre todo mundo.”, conta a Letícia.  

23155036_1476372785749423_2393301206299909985_o

Para o Pedro, o mais incrível da participação no Festival foi encontrar tantas pessoas diferentes e inspiradoras. “Por mais que a gente viva num mundo cheio de máquinas, tecnologias, robôs, a gente nunca precisou tanto de rua. A maior tecnologia que foi mostrada foi a das pessoas fazendo coisas com pessoas. Como é tecnológico ter empatia e entrar em contato com as pessoas para realizar coisas juntos.” conta.

Ficou com vontade de ser Fellow SGB? Inscreva-se para receber todas as novidades sobre o programa


Comentários


Você poderá gostar também de...