#eusoulabber: Guia do Empreendedor Social da Risü

A Risü é uma empresa social que ajuda ONGs a captarem recursos através de compras pela internet. Eles participaram do SGB Lab em 2015, quando a gente teve a oportunidade de conhecer de perto os empreendedores que construíram a iniciativa.

Agora eles querem compartilhar o que apreenderam nesta empreitada e estão lançando um guia de empreendedorismo social, que explica conceitos e traz casos reais de diversos empreendedores. O material pode ser baixado gratuitamente no site deles. Para quem sempre nos pergunta dicas de livros para quem está começando a empreender, #ficaadica. 😉

Quero aprender mais sobre empreendedorismo social

Como o SGB Lab leva você do problema social à solução?

O SGB Lab é um laboratório que ajuda a viabilizar projetos que usam as tecnologias e novas mídias para melhorar o mundo. No Lab, apostamos em inovadores sociais que enxergam problemas sociais, sonham grande e que acreditam no poder das tecnologias e novas mídias. Você entra com o problema e uma ideia. O SGB Lab ajuda você a sair com em uma solução viável. Ou seja, sua ideia sai do papel e pode ir pra rua ajudar muuita gente. E como o SGB Lab faz isso?

SGB Lab - Ruaaa

Através de um ambiente de inovação, metologias de ponta e mentoria. Tudo isso acontece durante quatro meses, em três encontros presenciais e um ambiente virtual. Neles os participantes têm acesso a metodologias centradas no usuário, como Design Thinking e Startup Enxuta. Ao entrar ter contato profundo com o seu público e prototipar a solução acompanhado por especialistas que dão feedback em todas as etapas do processo, fica muito mais fácil colocar um produto bom na rua, né?

11949394_10207456601283337_1002391012389203380_n

Para falar um pouquinho sobre essa coisa de enxergar o problema e agir para criar uma solução, chamamos quem entende do assunto. Os empreendedores sociais que participaram da edição de 2015 e passaram por todo o processo. Se você procura inspiração para criar um mundo melhor, assista aos vídeos dos labbers:

Elson Santos Silva Carvalho, do NUVEM (Núcleo de Vivências Pedagógicas)

Emanuelly Ferreira de Oliveira, do Social Brasilis:

Cinthia Rodrigues, do Quero na Escola!:

Natália Terezinha Alves, do EuTeGuio:

Rogério Malveira e Carla Tenecy, do Letras de Médico:

Mórris Litvak, do MaturiJobs:

Lígia Sena, do Cientista que Virou Mãe:


Ainda dá tempo de tirar sua ideia do papel em 2016! O SGB Lab está com inscrições abertas para a próxima edição, mas ATENÇÃO: as inscrições vão até dia 17 de abril.

LEIA MAIS SOBRE O PROGRAMA E SAIBA COMO PARTICIPAR
FAÇA SUA INSCRIÇÃO

Projeto participante do SGB Lab 2015 é primeiro finalista do SBIO Rio

Já contamos por aqui que os labbers estavam participando em peso do Innovation Open do Sustainable Brands, evento que vai acontecer de 25 a 27 de agosto no Rio de Janeiro. GoForGood, Roupa Livre, Risü e EVA – Cleaning Water estavam disputando os votos do público por uma vaga entre os semi-finalistas.

Todos tiveram um ótimo desempenho, mas quem levou a melhor foram os mineiros da Risü,  uma plataforma de vendas e ofertas, que cria uma nova concepção de consumo. Conecta pessoas, causas sociais e lojas online, transformando compras em doações sem que o usuário pague mais por isso. Lojas ganham um novo canal de vendas, instituições captam mais recursos e usuários apoiam causas que realmente acreditam de forma gratuita.

Isso não quer dizer que o sonho acabou para os outros incríveis projetos incritos. Eles continuam disputando e terão seus projetos analisados por uma comissão julgadora. Confira mais detalhes sobre cada um:

GoForGood

Projeto da galera que participou do SGB Lab 2014 com o Instituto Inforpeople, GoForGood é uma startup catarinense especializada em apoiar pequenas e médias empresas a realizarem ações sociais de forma mais simples (e divertida). O site deles já está no ar e você pode acessar mais informações aqui.

Roupa Livre

Movimento que quer mudar a forma com que as pessoas consomem, fazendo com que elas enxerguem abudância no que já têm. Promovem economia circular e o reaproveitamento de roupas através de oficinas de transformação do usado em novo, encontros de trocas, produção de conteúdo que conscientiza e um aplicativo de trocas, este último que está participando do SGB Lab 2015. Mais informações aqui, ó.

EVA – Cleaning Water

O EVA é um equipamento que limpa a água servida, barrenta ou salinizada por meio da evaporação e condensação. Com design inovador, o projeto usa somente o calor solar e materiais recicláveis para fazer o tratamento da água, não sendo necessário a utilização de energia elétrica e proporcionando um produto com alto valor.

Já escolheu seu favorito? Dedos cruzados para que todos tenham seu espaço para mostrar suas iniciativas no Susteinable Brands. 🙂

#eusoulabber: Ser um bom empreendedor social exige formação contínua

Mórris Litvak JrA gente está sempre de olho no que os empreendedores que já passaram pelo SGB Lab andam fazendo. E a gente não cansa de se surpreender positivamente. Projetos que evoluem e refinam seus modelos de negócio, pessoas que conquistam seu espaço e estão sempre buscando se aprimorar. Esse é o caso de Mórris Litvak Jr. participante do nosso laboratório de inovação social em 2014 com um projeto que tinha como objetivo valorizar o idoso e integrá-lo à sociedade. Além da mudança de rumo no Conectando Gerações, o empreendedor tem novidades: foi aprovado para participar da pós-graduação em Gestão de Inovação Social dos nossos parceiros do Instituto Amani, que acontece pela primeira vez no Brasil (antes era realizada apenas em Nairóbi, no Quênia).

Conversamos com Mórris para saber mais sobre o projeto que está envolvido no momento e quais são as expectativas para o curso:

Social Good Brasil: Como está o Conectando Geração, projeto que você inscreveu no SGB Lab?

Mórris Litvak: A ideia do Conectando Gerações evoluiu e mudou. Pivotei o modelo do projeto a partir do que foi criado no SGB Lab e lancei agora o MaturiJobs com o mesmo propósito, mas com uma pegada mais de negócio social mesmo. A ideia original era muito mais de projeto social mas acabou parando no desafio da monetização.

SGB: Qual foi a sua motivação ao escolher a pós-graduação em Negócios Sociais di Instituto Amani?

ML: Me interessei logo de cara quando a Andressa Trivelli (coordenadora do SGB Lab 2014 em São Paulo) me falou, e fez a ponte entre eu e eles. Depois conversei com a Ilaina, do Instituto Amani, e resolvi participar do processo seletivo. Depois de algumas entrevistas em inglês via Skype fui selecionado e achei que seria uma ótima oportunidade, pois cabe exatamente no momento que estou vivendo como empreendedor, ou seja, a virada do mundo corporativo tradicional para os negócios sociais, e a busca por especialização neste tipo de gestão.

SGB: Como você tomou a decisão?

ML: Eu não conhecia o Instituto Amani e logicamente que pesquisei bastante para saber se o curso valia mesmo a pena. Cheguei a conclusão que sim. Além disso, o fato de eles serem parceiros do SGB e a Andressa não só ter feito a ponte, mas também pessoalmente recomendado o curso, pesou bastante a favor da decisão!

SGB: Quais são suas expectativas para aplicar os conhecimentos ao final do curso?

ML: Conheci o programa do Amani em detalhes e estou com uma ótima expectativa. Acredito que vou adquirir conhecimentos fundamentais para a minha carreira como empreendedor social daqui pra frente, pois ainda me sinto inseguro em diversos pontos. Acho que vai ser como uma continuação do que já aprendi no SGB Lab, com muita imersão e ótimos aprendizados. Tenho certeza de que poderei usar as metodologias aprendidas rapidamente, bem como ter mais clareza do caminho que vou seguir.

E você? Assim como o Mórris pensa em seguir o caminho do empreendedorismo social? Então, além da pós da Amani, temos mais algumas dicas. O Mórris, junto com outros empreendedores sociais egressos do SGB Lab criaram o Empreendendo Bem, um blog que fala sobre as delícias e os desafios de empreender socialmente. Aqui site do SGB você também encontra uma seção com várias ferramentas e materiais para apoiar você. #partiu ser seu próprio chefe e de quebra mudar o mundo? 😉

Conheça o EmpreendenDoBem: novo blog sobre empreendedorismo social

Empreendedorismo de negócios sociais sob a ótica de 14 empreendedores que querem ampliar o ambiente de colaboração nos negócios de geração de impacto.  

EmpreendenDoBem

Alguns participantes da edição passada do SGB Lab se uniram para realizar um sonho em comum: o EmpreendenDoBem, um blog sobre empreendedorismo social, que tem o objetivo de reunir conteúdo de qualidade sobre o tema e compartilhar dúvidas, desafios e informações com quem quer começar a trilhar este caminho. Quem conta melhor, são eles mesmos, no texto que você lê aqui embaixo e em um Hangout que acontece no dia 23 de abril às 19h.

Confira:

“Empreender um negócio já é uma boa história, mas se ela inclui, ainda, o desejo de gerar impacto social, a história se transforma numa incrível jornada. Em toda boa história, há momentos de alta energia, de dúvida e muitos desafios e, como nenhum personagem faz uma história sozinho, estar com amigos para percorrer essa jornada é uma ótima escolha.

Tem sido assim com 14 empreendedores de negócios sociais que se tornaram amigos após um processo para tirar ideias do papel, que adoram estar juntos, valorizam muito a colaboração e mais do que tudo: querem inspirar outros empreendedores a seguir nesse looping tão desafiador, mas também tão gratificante.

Do começo dessa jornada – que ainda tem muito chão pra ser percorrido – nasceu o blog EmpreendenDoBem, um hub de conteúdos sobre negócios sociais que são gerados pelos próprios autores ou escolhidos a partir de uma curadoria de quem sente na pele o que interessa, é relevante e inspirador pra quem, como eles, está empreendendo no mundo de negócios com causa.

Os criadores do blog têm negócios em causas diversas, vem de histórias e contextos bem diferentes, moram em 8 cidades distintas, não tem a mesma profissão e nunca tinham se visto antes. Tanta diferença não é ressaltada à toa: o que eles mais adoram é o quanto isso contribui pros seus negócios pessoais.

“O mais interessante é que a gente sempre buscou estar perto de pessoas com a mesma formação que a gente, mas de repente foi toda essa mistura num ambiente de pressão que fez nossas ideias decolarem”, conta a designer Marcela Moraes, empreendedora da Vestiu Bem e uma das criadoras do blog.

Depois de 5 meses participando do Social Good Brasil Lab eles organizaram alguns encontros e das conversas veio a ideia de criar um blog. Assim continuavam se ‘alimentando’ das informações e experiências uns dos outros e podiam dar força e inspirar outras pessoas que estavam no mesmo barco.

Criamos um ambiente de colaboração tão intenso enquanto fazíamos esse laboratório de tirar ideias do papel, que não quisemos perder isso de jeito nenhum”, explica Mórris Litvak, engenheiro e empreendedor do Conectando Gerações, que é também um dos criadores do blog.

Após alguns meses rodando numa versão beta para testar e colher aprendizados,www.empreendendobem.com.br entrou oficialmente no ar, com uma agenda de eventos interessantes, artigos dos autores e como um canal que reúne muito conteúdo relevante, escolhido a partir da lente de quem empreende.

peca do quebracabeca

“Queremos continuar nos divertindo juntos, como amigos, e nos apoiando. Talvez outras coisas surjam, além do blog. Temos muitas ideias”, conta André Varanda, empreendedor da Gama.TV e mais um dos criadores do blog. É desse jeito despretensioso e completamente disposto a colaborar que o EmpreendeDoBem ganha vida.

Primeira ação para comemorar o lançamento e para começar a compartilhar experiências, aprendizados e dúvidas os 14 editores do EmpreendenDoBem farão um hangout aberto, dia 23 de abril, das 19h às 20h30 para falar dos desafios de empreender um negócio social. Quem quiser participar é só checar no blog o convite para o hangout.

“Queremos continuar esse ambiente em que a gente se apoia, se questiona, dá ideias. Isso nos desenvolve, dá energia. Só que agora, com o blog, abrimos esse ambiente pra quem mais se interessar”, afirma Katia Sartorelli, empreendedora de 100pepinos e mais uma das criadoras do EmpreendenDoBem.

Sobre o blog EmpreendenDoBem

EmpreendeDoBem tem o propósito de ampliar o ambiente de colaboração para empreendedores de negócios sociais.

É um blog focado em empreendedorismo social, feito com a visão do empreendedor, com artigos sobre experiências e aprendizados, uma agenda com eventos de interesse de quem está criando ou iniciando um negócio e reposts de artigos relevantes.

Todos co-laboram: alguns escrevem mais, outros trabalham na programação, na interface com mídias sociais e no design.

Os 14 criadores

André Varanda 

Administrador pós-graduado em Comunicação e Marketing, CoFundador da Gama.tv, uma televisão online para pessoas com deficiência visual ou auditiva.

Fabiana Dias 

Jornalista, pós-graduada em Comunicação Organizacional e Relações Públicas, é co-fundadora e empreendedora de 100pepinos, uma startup na área de habitação, que empodera pessoas que fazem obras sem assistência técnica, descomplicando conteúdo técnico. Também é criadora da MaisArgumento.

Gabriela Besser 

Designer gráfica, coach e terapeuta, é co-fundadora do Portal Superação, uma rede de apoio personalizado com ferramentas para que pessoas com doenças graves possam encontrar suporte e superá-las.

Kátia Sartorelli 

Arquiteta, com experiência em assessoria técnica para habitações de baixa renda, é cofundadora e empreendedora de 100pepinos, uma startup na área de habitação, que empodera pessoas que fazem obras sem assistência técnica, descomplicando conteúdo técnico. Também é criadora da Okna Arquitetura.

Leandro Malhado 

Profissional de marketing digital e empreendedor da Dream´nGo, organização que tem o objetivo de tirar ongs da invisibilidade.

Letícia Taveira 

Psicóloga, terapeuta quântica, co-fundadora do Portal SuperAção, uma rede de apoio personalizado com ferramentas para que pessoas com doenças graves possam encontrar suporte e superá-las.

Lia Spínola 

Estilista e diretora da Ecotece, uma ong que trabalha por uma moda mais ética, limpa e inclusiva.

Marcela Moraes 

Designer gráfica e de produto, é empreendedora da VestiuBem, uma empresa que produz roupas criadas por novos estilistas, fabricadas sem exploração de trabalho e entregues na casa do cliente.

Michel Grahl 

Graduando em Direito e colaborador da plataforma Atados, que promove o encontro entre demandas de voluntariado e pessoas voluntárias para ações pontuais.

Monyse Almeida 

Advogada, atuante em Direito Trabalhista, é co-fundadora da Alinha, plataforma online focada na aceleração de oficinas de costura e no aumento de sua visibilidade para o mercado.

Morris Litvak 

Engenheiro de software, empreendedor do Conectando Gerações, um portal de voluntariado que incentiva conversas intergeracionais.

Ricardo Zylbergeld 

Analista de sistemas e permacultor urbano, membro da plataforma Engajados, da DIGITAO e do LaboratórioUrbano, três projetos com estratégias diferentes, mas com a mesma finalidade de empoderar o cidadão no seu papel de agente de transformação local.

Roberta Lima 

Psicóloga e pesquisadora, trabalha com dinâmicas de grupo e facilitação de processos de criação. Co-fundadora do DoaNota, um aplicativo para substituir a digitação de cupons para nota fiscal paulista, programa que reverte parte da arrecadação de impostos para ongs.

Rogério Fernandes 

Profissional de TI, co-fundador do DoaNota, um aplicativo para substituir a digitação de cupons para nota fiscal paulista, programa que reverte parte da arrecadação de impostos para ongs.

Para saber mais, acesse o blog clicando aqui. Não deixe de participar do Hangout sobre os desafios de empreender um negócio social. É no dia 23 de abril às 19h.

#eusoulabber: “Depois que vira a chave, não tem volta”

Conheça a história de André Varanda, que participou do SGB Lab em 2014 com o projeto Gama.TV, que já coleciona conquistas e inspira muita gente.

Milhões de brasileiros ouviram o narrador espantar-se e viram sem qualquer dificuldade – talvez apenas com o auxílio de simples óculos – quando o zagueiro colombiano Juan Zúñiga, bateu o joelho nas costas do atacante Neymar em jogo pelas quartas-de-final da Copa de 2014. Outros tantos indivíduos, no entanto, não conseguiram acompanhar da melhor forma o lance que decretou o fim da participação do principal talento da seleção no maior torneio de futebol do mundo.

No Brasil há hoje aproximadamente 35 milhões de pessoas com deficiência total ou parcial (esses são a maioria) da visão ou da audição.

Não poder acompanhar os jogos da seleção – ou do time de coração – pela TV é apenas uma das dificuldades enfrentadas por essa enorme fatia da população na busca por informações “Os meios de comunicação – como diversos outros setores da nossa sociedade – muitas vezes não atendem da forma adequada esse público. Isso se torna um obstáculo para o acesso à informação, o que em muitos casos gera insegurança e compromete a qualidade de vida desses indivíduos. Eles evitam se manifestar sobre determinados assuntos e se afastam da vida em sociedade”. André Varanda, autor da frase, não é deficiente visual ou auditivo nem convive diretamente com pessoas que enfrentam dificuldades para ouvir ou enxergar.

10537841_692327064154003_3251515067203621557_n

Mas a Gama.TV, um negócio social desenvolvido por ele e pelo sócio Felipe Monteiro no Social Good Brasil Lab, pretende derrubar obstáculos que a atual forma de oferta de notícias e entretenimento coloca diante daqueles que não ouvem ou enxergam.

O caminho que aproximou o jovem paulista de 27 anos do trabalho com especialidades como as libras, a áudio descrição e as legendas adaptadas é curioso. Aos 14 anos ele tomou uma decisão até certo ponto surpreendente: queria ser voluntário em um projeto social. Inicialmente, acompanhava equipes de uma instituição que prestava serviços em lares para crianças em situação de vulnerabilidade. Mais tarde, quando já conciliava a faculdade de Administração com um estágio, passou a colaborar na gestão de outras entidades beneficentes. Isso até 2013, quando conheceu a Street Football World e pode unir a vontade de ajudar ao gosto pelo futebol, cultivado desde a infância.

A Street Football é uma organização que atende crianças carentes e conquista a confiança e a proximidade dos pequeninos com o auxílio de uma bola. Formado pela tradicional Mackenzie, o jovem, que hoje divide o tempo entre a Gama.TV e o emprego no setor de planejamento estratégico em uma empresa da área química, já colaborou também na gestão da ONG. “O aprendizado técnico e a vivência no mundo corporativo me permitiram levar uma visão mais estratégica para a atividade social. Por outro lado, o voluntariado me ‘treinou’ para a criação de laços, a busca de relações mais próximas, importante para o trabalho em equipe”.

A realidade dos deficientes visuais ou auditivos invadiu o dia a dia de André nos meses anteriores à Copa do Mundo.

Um amigo alertou André para uma oportunidade ímpar: a FIFA, em parceria com a ONG carioca URECE, buscava voluntários para o projeto de uma rádio para deficientes visuais que seria sintonizada dentro dos estádios. A narração precisaria ser adaptada para garantir que as pessoas que não enxergam, portanto não criam imediatamente a imagem visual correspondente ao que ouvem, pudessem sentir toda a emoção dos jogos.

Os treinamentos duraram oito meses e incluíram um passeio de olhos vendados pelo Maracanã, um exercício “forçado” de empatia que serviu para despertar em André a preocupação com o assunto. “Hoje mesmo sem pensar no assunto, avalio o grau de adaptação de qualquer local onde esteja.

André Varanda

 

Depois que ‘vira a chave’ e você passa a se identificar e a se preocupar com um problema social, não tem como voltar atrás”

Enquanto treinava para narrar as partidas, André também conheceu um deficiente visual que chamou sua atenção. “Ele é mais ativo do que a maioria, independente, seguro. Percebi que muito desse comportamento – além de refletir a própria personalidade dele, obviamente – era reflexo do fato de ele ter morado na Alemanha e tido muito acesso a informação, transmitida de forma adaptada. A auto-confiança faz toda a diferença”.

A experiência, que incluiu o treinamento prévio e a locução dos jogos propriamente dita, além do convívio com deficientes físicos, abriu novos horizontes para André. Estudante do curso de pós-graduação em comunicação e marketing da Escola de Comunicação e Artes (ECA) da USP, uma das principais referências da área no País, ele teve a ideia de usar a internet para oferecer conteúdo adaptado aos deficientes visuais ou auditivos. O passo seguinte – a inscrição no Social Good Brasil Lab – ajudou na criação da Gama.TV, canal de conteúdo adaptado.

No SGB Lab usei na prática conceitos que eu já havia estudado, mas apenas na teoria, como o design thinking. Ali a metodologia é aplicada com pessoas reais, o que aumenta muito a responsabilidade, mas também garante resultados importantes e muito aprendizado”. Para formatar a proposta da Gama.TV, André e o sócio, Felipe, que deixou a carreira de publicitário para se dedicar integralmente ao projeto, acompanharam deficientes visuais em atividades do dia a dia e analisaram a forma como é feita a comunicação com deficientes visuais ou auditivos.

Andre Varanda

Os subsídios serviram para aperfeiçoar a Gama.TV, que já tem projetos aprovados em leis de incentivo e agora vai iniciar a captação de recursos para produção de conteúdos. A ideia também foi premiada na Campus Party (primeiro lugar na categoria Startups em estágio inicial), na Maratona de Negócios Sociais do SEBRAE do Rio de Janeiro (categoria negócios que ainda não estão em operação) e pelo 8° Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável, promovido em parceria pela FGV, GRPCOM, Prefeitura de Curitiba e Sebrae/PR.

Há três anos da Copa de 2018, é impossível dizer se Neymar voltará a encontrar Zúñiga em campo na disputa pelo Hexa. Mas, no que depender de André e Felipe, até lá os deficientes visuais ou auditivos terão uma série de alternativas de conteúdo adaptado para acompanhar melhor e opinar sobre os fatos que estiverem nas rodas de papo.

Se assim como o André, você tem uma ideia para melhorar o mundo, fique de olho: as inscrições para o SGB Lab estarão abertas MUITO em breve. Fique de olho e não perca a oportunidade de participar de nosso laboratório de inovação social. Cadastre-se para receber as novidades e ficar sabendo em primeira mão.

Social Good Brasil traz para o Brasil metodologias inéditas do GSBI

Ótimas notícias para quem já participou e para quem vai participar do SGB Lab: nossa equipe foi aprovada para participar do Train the Trainers do programa GSBI Boost no Vale do Silício. Graças ao apoio dos nossos parceiros do GSBI – Global Social Benefit Institute da Universidade de Santa Clara e a eBay Foundation, vamos trazer os conhecimentos para o Brasil especialmente para passá-los aos labbers no SGB Camp: uma pré-aceleração para apoiar os projetos depois da passagem pelo nosso laboratório e ajudá-los a chegar ao próximo nível de desenvolvimento. Mais um ótimo motivo para se inscrever na edição 2015, hein?

O GSBI quer impactar positivamente a vida de 1 bilhão de pessoas até 2020. Para isso, tem a missão de acelerar o empreendedorismo mundial com base na inovação a serviço da humanidade. Oferece apoio a empreendedores sociais em todas as fases de desenvolvimento de organizações que tem como foco vencer os desafios sociais relacionados a pobreza e escassez de recursos.

Lançado em 2003, o GSBI é pioneiro no desenvolvimento do empreendedorismo social. Tem programas diferenciados para start-ups, com currículo estruturado, mentoria personalizada e apoio permanente para ex-alunos.

GSBI

É toda essa expertise que queremos trazer através do GSBI Boost!

O GSBI Boost reúne lições sobre empreendedorismo social em um poderoso workshop de três dias: o SGB Camp. A intenção é ensinar para empreendedores sociais em estágio inicial fundamentos de negócios, melhorar seu pensamento estratégico e articular um plano de negócios capaz de demonstrar impacto e sustentabilidade financeira a longo prazo. O foco é fortalecer o modelo de negócio e apresentá-lo de forma atrativa.

Ao final da pré-aceleração, os participantes tem estratégias e materiais para fazer suas iniciativas crescerem de forma financeiramente sustentável. Além disso, os projetos saem prontos para se inscreverem em outros programas de aceleração para se estruturarem ainda mais e melhor.

Estamos muuito empolgados e gratos ao GSBI por ter nos selecionado e proporcionar essa oportunidade incrível às organizações e negócios sociais que já passaram (e irão passar) pelo nosso querido SGB Lab. 🙂

Ainda este mês as inscrições para o SGB Lab 2015 estarão abertas. Você será beneficiado com apoio de mentores, vai aprender a aplicar metodologias de ponta como Design Thinking e Start-up, construirá uma rede relevante de contatos e ainda terá acesso a conteúdos dos pioneiros em empreendedorismo social, direto Vale do Silício. Vai encarar? Fique de olho nas nossas redes sociais e cadastre-se para receber novidades.

Participantes das duas primeiras edições do SGB Lab colecionam conquistas

Os participantes do Social Good Brasil Lab estão nos enchendo de orgulho. Seu espírito empreendedor e projetos de impacto ganham cada vez mais visibilidade em premiações e eventos nacionais e internacionais, onde vêm apresentando com sucesso suas ideias inovadoras.

Saiba por onde eles andam:

Premiações

O participante do Social Good Brasil Lab 2014, Lucas Lucchesi, esteve entre os quatro premiados do Prêmio Jovens Inspiradores 2014, prêmio que identifica e encoraja estudantes ou recém-formados com espírito de liderança. Lucas é um dos idealizadores da Camarú Social.

Lucas Lucchesi

Djali Valois e José Eduardo de Luca, participantes do Social Good Brasil Lab em 2013 e desenvolvedores de um game educativo sobre Recuperação Muscular, levaram o segundo lugar geral do Concurso INOVApps do Ministério das Comunicações. O concurso tem como objetivo apoiar o desenvolvimento de aplicativos e jogos sérios de interesse público para dispositivos móveis e TVs digitais conectadas.

Os labbers André Varanda e Felipe Monteiro foram vencedores na Maratona de Negócios Sociais do SEBRAE no Rio de Janeiro. Com o seu projeto Gama.TV, foram premiados na categoria para negócios que ainda não estão em operação.

1509699_10152581744982903_3718861186779836661_n

Diego Oliveira, do projeto Legenda Sonora também está entre os labbers premiados. Ele recebeu o Prêmio Brasil Criativo, principal premiação de Economia Criativa do país.

Campus Party

Os nossos labbers também não poderiam estar por fora do maior evento de internet do mundo. Sete dos nossos labbers participam da oitava edição da Campus Party (CPBR8).

Djali Valois e Eduardo de Luca, da Mentes Brilhantes, estão expondo seu projeto Ciencioteca – uma solução inovadora em educação, que mistura games, internet das coisas, sensores e experimentos mão na massa para diversificar e ampliar a experiência de aprendizado de crianças e  jovens.

Ciencioteca

Diego Oliveira tem um estande no CPBR8 para expor seu projeto Legenda Sonora. Ele também vai dar uma palestra no evento! O labber ainda foi convidado pela programa Pequenas Empresas, Grandes Negócios para dar uma entrevista!

A startup Gama. TV dos labbers André Varanda e Felipe Monteiro, foram uma das 200 selecionadas para participar do Startup & Makers Camp, espaço dentro da Campus Party que  oferece formação, mentoria individualizada, e contato com muito a mídia, aceleradoras e investidores. Também vão expor em um estande.

Por fim, o labber Thiago Souza participa da maratona de negócios sociais da CPBR8 para ajudar a tirar do papel a nova ideia For Today. A maratona conta com mentorias, palestras, bate-papos, workshops, formação do SEBRAE, além da ajuda do time da Campus Party.

Na Espanha

Jorge Henrique da Silva do Instituto Inforpeople e Dariele  Santos da iniciativa Alinha alcançaram um voo ainda mais alto. Eles foram selecionados para participar do  Pangea, evento em Madrid patrocinado pela Fundação Telefônica. A proposta do evento é reunir alguns dos jovens mais talentosos do mundo.

IMG_8969

Participante do SGB Lab vence o Prêmio Jovens Inspiradores

Lucas Lucchesi

No ínicio desta semana foram apresentados os nomes dos vencedores do Prêmio Jovens Inspiradores 2014. Em sua terceira edição, o concurso premia estudantes universitários ou recém-formados com potencial para assumir posições estratégicas no desenvolvimento do Brasil. Mais do que um prêmio, é um programa para ajudar a preparar líderes capazes de enfrentar os maiores desafios que atrasam o desenvolvimento do Brasil.

Entre os quatro premiados está Lucas Lucchesi, participante do Social Good Brasil Lab 2014. Com apenas 23 anos, ele fundou a Camaru: uma empresa social que tem o objetivo de prover saneamento básico para comunidades carentes e evitar a proliferação de doenças ligadas e falta de sanitários através de uma solução inovadora de banheiro seco. O projeto rendeu a Lucas a classificação por voto popular, com 21.896 votos (39% do total).

Banheiro Seco

Além dele, foram premiados com bolsas de estudo no exterior, um ano de orientação profissionais com mentores e um iPad, outros três jovens: Alexandre Schimidt de Amorim, André Barrence e Izabela Corrêa. Confira mais detalhes sobre todos os projetos dos vencedores e finalistas clicando aqui.

Parabéns, Lucas! A equipe do Social Good Brasil está muito orgulhosa e feliz em ver o reconhecimento recebido pela criação de um projeto com tamanho potencial para gerar impacto positivo na sociedade. 🙂

Iniciativas finalistas do Social Good Brasil Lab disputam fundo de investimento semente

O primeiro painel do Seminário #socialgoodbr do dia 6 de novembro foi sobre o Social Good Brasil Lab 2014. Os idealizadores das seis iniciativas finalistas do laboratório tiveram seis minutos para fazer uma apresentação para conquistar a atenção do público, que irá ajudá-los a receber o fundo de investimento semente do Lab. E o que é esse fundo? São 54 mil reais arrecadados com a venda de ingressos do evento e as três ideias que tiverem mais votos somado ao índice de desempenho no Lab serão premiadas com o dinheiro, investimento que poderá ser muito bem utilizado para tirar as ideias do papel. 😀

As seis iniciativas finais do Lab se apresentaram no painel com o objetivo de conquistar apoio do público presente para a votação na plataforma Thunderclap. Conheça e ajude a votar! Acesse aqui os links das iniciativas para o Thunderclap e saiba como votar. O resultado será divulgado às 18h30 no palco do Seminário. 🙂

A primeira a se apresentar foi Fabiana Maria Dias Moreira, idealizadora  da  iniciativa 100 pepinos, uma plataforma que deseja empoderar as pessoas a fazer suas próprias construções. Sabendo que muitos perdem dinheiro ou ficam frustrados com o processo de reformas, ela e sua parceira no projeto, Kátia Sartorelli Veríssimo, desejam desenvolver algo descomplicado. Para Fabiana, o desejo é ser o “Globo Rural das Reformas”.

IMG_3692

 

Dariele  Santos apresentou a iniciativa Alinha, que deseja acabar com a escravidão no setor têxtil. Ela e sua parceira Monyse Almeida, se incomodaram com esta realidade e o início é alcançar aproximadamente 14 oficinas de pequena costura no estado de São Paulo. Elas deseja oferecer apoio às oficinas por meio de parcerias que podem ajudar em itens como formalização e microcrédito.

IMG_3722

 

Lidiane Lemos foi a terceira a se apresentar no palco do Seminário #socialgoodbr.  A ideia dela é criar uma plataforma de financiamento coletivo feita com impostos. Isso mesmo! Você sabia que cerca de 6 mil projetos culturais são enviados para a Lei Rouanet por ano mas 74% não são captados? Isso porque muita gente não sabe que pode apoiar.  “Queremos fazer conexão entre quem quer fazer cultura e quem deseja investir, mapeando projetos culturais, fazendo curadoria digital com a sociedade para perguntar sobre os projetos”, destacou.

IMG_3780

 

Na sequência foi a vez de Jorge Henrique da Silva apresentar o Instituto Inforpeople, que deseja apresentar em uma plataforma histórias de causas sociais por meio de dados interativos com o objetivo de informar e engajar pessoas. 

IMG_3794

 

Leonardo Aguiar apresentou o Maisha, que tem como objetivo dar voz às dores silenciosas que pretende lançar uma plataforma para troca de informações sobre saúde.

IMG_3833

 

Gabriella Barros Besser foi a última labber a se apresentar. A iniciativa dela e da sua amiga Letícia Borges Taveira é o SuperAção, um portal com o objetivo de promover solidariedade e apoio mútuo entre pacientes e familiares. Em menos de um mês 40 pessoas aderiram ao projeto contando suas histórias e se fortalecendo com o apoio de outros.

IMG_3864

Encontre neste post mais informações sobre as iniciativas. 🙂

A segunda edição aconteceu em Florianópolis e São Paulo e teve, no total, 300 inscritos e 55 selecionados. Durante quatro meses, o SGB criou um super ambiente de inovação com base em co-criação, mentoria e metodologias de ponta e os labbers puderam aproveitar para repensar o seu modelo de negócio. Todos os projetos usam tecnologia, as novas mídias e o pensamento inovador e contribuem para resolver problemas sociais.

Ficou interessado em conferir na íntegra o painel? Em breve iremos disponibilizar todas as palestras do Seminário no nosso canal do Youtube. Fique ligado! 😉