Institute for the future: como a previsão do futuro pode te ajudar a ter ideias inovadoras

O Institute For The Future foi fundado na década de 1960, na Califórnia, por alguns dos pioneiros da internet, como Paul Baran. Desde aquela época eles perceberam o potencial transformador que a internet possui para democratizar a comunicação e a produção. Eles criaram o IFTF como uma organização sem fins lucrativos para ajudar o público a se preparar para o que eles já previam que iria acontecer.
O IFTF sempre se dedicou a ajudar organizações, companhias e governos a verem o valor à longo prazo de tecnologias abertas, que provém acesso e oportunidades de forma mais ampla para a sociedade. Também facilitam diversas conversas entre tomadores de decisões e ativistas que defendem os direitos de comunidades locais e de base, para ajudar os dois grupos a pensarem de forma sistemática sobre o futuro e tomar decisões que empoderem ambos a buscarem condições que funcionem para todos.
Para isso, eles analisam muito as prováveis evoluções tecnológicas, claro. Mas mais do que isso, estão interessados em saber como essas novidades vão afetar a vida das pessoas. Eles não são especialistas em nenhuma área específica. A equipe é diversa e estuda aspectos sociais, econômicos, políticos e culturais de vários assuntos. Eles já ajudaram os administradores dos parques do Disney World, na Flórida, a prever o futuro da diversão, por exemplo, mas também auxiliam empresas da área da saúde, economia, e  outras áreas.

O Jeremy é gerente de pesquisas no IIFTF e vem para o Festival Social Good Brasil, em outubro

Apesar do que sugere o nome, o Instituto não prevê o futuro — e nem acredita que isso é possível. O trabalho deles consiste em analisar tendências e, principalmente, disrupções que estão por vir e quebram os padrões já estabelecidos na sociedade. Para eles, analisar tendências pode levar à inovação (o que é ótimo), mas analisar rupturas leva à inovação radical.
Um belo exemplo de disruptura que atraiu os olhares do IFTF é o blockchain. A tecnologia que está por trás de criptomoedas já bastante conhecidas como o bitcoin vai poder ser usada para validar contratos, sistemas de governo, transações financeiras  e serviços de todos os tipos. Essa tecnologia vai eliminar o intermédio de grandes corporações para realizar atividades simples como pegar um táxi, transferir dinheiro de um país para outro ou reservar uma viagem.  Isso empodera o público e democratiza o acesso a vários serviços.
O instituto acredita no poder das previsões (foresight) para gerar insights e ideias de como agir no futuro. Para isso, eles utilizam técnicas de storytelling que provocam o nosso cérebro a pensar além das barreiras e assim, ter ideias inovadoras.
No Festival SGB 2017, recebemos o Jeremy Kirshbaum, gerente de pesquisas do IFTF. Ele estuda macroeconomia, geopolítica e empreendedorismo internacional. Nos últimos quatro anos têm focado sua experiência profissional e empresarial na África Oriental.
Assista aqui ao painel sobre trabalho, tecnologia e futuro com a participação do Jeremy.

Social Good Brasil lança primeiro laboratório de tecnologias exponenciais para impacto social do país durante SingularityU Brasil Summit

 


Leia também

22 setembro 2021
Vai encarar um mergulho? Participe da 10ª edição do Festival SGB! E pegue a sua bússola para iniciar...
Ler Mais
16 setembro 2021
Desde o início, o Social Good Brasil buscou o pioneirismo: ao olhar para o que estava acontecendo no...
Ler Mais
16 setembro 2021
O Google é o maior site de buscas do mundo. A ideia veio a Larry Page e Sergey Brin nos anos 1990. Aí...
Ler Mais
10 agosto 2021
As inscrições para o SiSU (Sistema de Seleção Unificado) abriram no início de agosto. O sistema usa...
Ler Mais
28 julho 2021
Desde que iniciei a autoescola e toda a jornada para tirar a CNH, perdi as contas de quantas vezes coletaram...
Ler Mais

Leia também

Manifesto Festival SGB 2021
O que foi tendência no mundo nos últimos 10 anos e como essas temáticas foram abordadas no Festival SGB
Google Trends: como funciona essa ferramenta?
Cientista de dados: por que é uma profissão do futuro

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support