Pensamento analítico: o que é e como desenvolver

pensamento analítico

A transformação digital impôs muitas mudanças aos profissionais e as habilidades exigidas de quem quer se inserir no mercado não são mais as mesmas. Muito além de conhecimentos técnicos, agora chama atenção quem consegue desenvolver certas habilidades sociais e comportamentais, como o pensamento analítico. 

O mundo corporativo está cada vez mais automatizado. Há ferramentas para fazer boa parte dos trabalhos mais mecânicos e a tendência é que apareçam muitas mais. Um relatório do Fórum Econômico Mundial estima que 85 milhões de postos de trabalho no mundo serão substituídos por robôs até 2025. 

Outro estudo, do Instituto de Pesquisa Aplicada (IPEA), calcula que 30 milhões de empregos podem desaparecer até 2026 por causa da automação. Isso se as empresas aplicarem apenas tecnologias que já existem hoje. 

Mas esses dados não significam que todos esses profissionais serão excluídos do mercado. Na prática, eles terão que se adaptar e desenvolver conhecimentos que os computadores e robôs não são capazes de mimetizar. Como o chamado perfil analítico.

O que é pensamento analítico?

Quando falamos em perfil analítico, muita gente pensa imediatamente em números. Mas não se trata apenas disso. O pensamento analítico é uma habilidade cognitiva que envolve a capacidade de reunir informações de diferentes fontes, visualizar o todo e solucionar problemas. 

Os números também entram nisso, é claro. Assim como a lógica. Mas o mais importante é conseguir trabalhar com dados, ler e interpretar,  fazer correlações e tomar decisões a partir deles. Ou seja, esse não é um conhecimento restrito aos profissionais de exatas. Na verdade, cada vez mais áreas exigem essa capacidade, inclusive as criativas. 

Também é importante explicar que pensamento analítico e pensamento crítico não são a mesma coisa, ainda que estejam bastante relacionados. Podemos dizer que o pensamento analítico é uma forma de pensamento crítico, mais ligada à análise de dados diversos. 

Por que o pensamento analítico é tão importante?

Quase todas as nossas ações ao longo do dia viram dados: os dispositivos conectados à internet estão por todos os lados e produzem uma quantidade imensa de informação, que é aproveitada pelas empresas. Além disso, a concorrência no mercado está ainda mais acirrada e demanda decisões mais estratégicas, baseadas em fatos e não apenas achismo. 

Ao mesmo tempo, somos bombardeados com conteúdo o tempo todo. As fake news se tornaram um grande exemplo disso. Muita gente nem sequer consegue avaliar o que está lendo para saber se aquela informação é verídica ou não. 

Por isso, saber filtrar e organizar informações para basear suas ações no trabalho (e na vida) é uma capacidade cada vez mais fundamental. É aí que entra o pensamento analítico. Com dados concretos, obtidos de diversas fontes, você pode cruzá-los e chegar a conclusões mais apuradas. Assim, as chances de acerto são maiores e, em geral, o tempo gasto para tomar decisões diminui. 

Como desenvolver o pensamento analítico?

A boa notícia é que essa não é uma habilidade inata. Algumas pessoas têm mais facilidade para se tornarem fluentes em dados, é verdade. Mas você também pode desenvolver o pensamento analítico. 

Desenvolva processos

Quando estamos desenvolvendo uma nova habilidade, alguns passos que parecem automáticos devem ser esquematizados. Assim você sabe o que fazer em seguida e vai treinando. Até que se torne natural.

É como aprender uma coreografia ou resolver um problema matemático. No início, precisamos de um passo a passo, mas em pouco tempo, começa a ficar mais fácil. Com o pensamento analítico não é diferente. 

Cada situação vai exigir um caminho, então não existe fórmula pronta. Antes de começar, busque entender o que, exatamente, você quer saber e por quê. Um problema difuso é muito mais difícil de analisar. Sabendo precisamente o que deve ser solucionado, fica mais fácil buscar referências e fontes de informação confiáveis. 

Treine seu olhar

Outro exercício importante para quem quer desenvolver o pensamento analítico é treinar o olhar. Faça pequenas análises de situações do dia a dia, não necessariamente relacionadas ao trabalho. Consumir notícias, por exemplo, pode ser uma forma de fazer isso no cotidiano. 

Também faça o exercício de procurar padrões naquilo que acontece ao redor. Veja como as outras pessoas tomam decisões e analise suas próprias ações. 

No mesmo sentido, tente reservar um tempo para ler livros, ouvir podcasts e assistir vídeos que discutem análise de dados e cultura data driven. Isso vai ajudar a desenvolver a capacidade de analisar e se comunicar com dados. 

Além disso, jogos de lógica são ótimos para quem quer melhorar essa capacidade: xadrez, sudoku, quebra-cabeças. Tudo isso pode ser jogado na sala de espera de um consultório, no ônibus ou até antes de dormir. Ter esses momentos, além de melhorarem o raciocínio, também vão ajudar na concentração. Outra característica importante para quem busca ter um perfil analítico. 

Aprenda com seus erros

Desenvolver o pensamento analítico, como toda habilidade, leva um tempo. Por isso, não tenha medo de errar: as falhas são extremamente valiosas nesse processo. As experiências vão alimentar o seu repertório, essencial para um profissional capaz de tomar decisões rápidas e qualificadas. 

O importante é identificar em que etapa do processo você errou. Mantenha a calma, avalie as ações e busque feedbacks para complementarem a sua visão. Assim, você vai construir referências do que fazer diferente nas próximas vezes. 

Exercite a curiosidade 

Preste atenção no que acontece ao seu redor e busque entender como foi o processo de tomada de decisão dos outros. Mas não fique apenas observando. Faça perguntas e busque entender como as coisas funcionam. 

Quando alguém trouxer conclusões, pergunte como a pessoa chegou àquele resultado. Isso não significa ser chato ou inconveniente, basta se mostrar genuinamente curioso e interessado. A maioria das pessoas gosta de falar sobre o seu trabalho e suas habilidades. Então ambos saem ganhando. Afinal, esse movimento pode trazer informações valiosas para o seu próprio processo de trabalho.

Todas essas informações juntas vão construir uma bagagem essencial para quem quer se destacar no mercado de trabalho. Associado com outras habilidades, como fluência em dados e pensamento crítico, o perfil analítico pode fazer toda a diferença na sua carreira. 

Quer dar o primeiro passo agora? Descubra seu nível de fluência em dados com a autoavaliação do SGB

Leia também

01 novembro 2022
A Bárbara tinha fome de mundo. Ela nunca parou em um só lugar, sua ambição sempre foi de conhecer,...
Ler Mais
01 novembro 2022
"Eu sou o Oswaldo Oliveira, um ser humano que mora no planeta Terra, trabalhando consigo mesmo e...
Ler Mais
01 novembro 2022
Humano. Essa foi a palavra que o Tiago usou para resumir a experiência com o Social Good Brasil...
Ler Mais
01 novembro 2022
Mais para as mães. É por isso que a Thais vem trabalhando desde 2013, quando criou a iniciativa...
Ler Mais
01 novembro 2022
A Tamila acredita seriamente na importância de construirmos futuros mais inclusivos. Atua e tem...
Ler Mais

Leia também

Segurança de dados no dia a dia: saiba como se proteger
Como identificar uma fake news?
Empresa Data Driven e sua relação com o futuro do empreendedorismo
5 vantagens da comunicação de dados nas empresas

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support