Para aprofundar os conteúdos que aparecem no palco e estreitar as conexões entre os palestrantes e participantes, o Festival Social Good Brasil oferece uma programação com rodas de conversa e workshops.

Como faço para participar?

As atividades são exclusivas para os inscritos no Festival SGB. Se você já fez sua inscrição no evento, fique atento ao seu e-mail. No dia 8 de agosto, quarta-feira, enviaremos o link para confirmar sua participação nas rodas de conversa e workshops. Se você ainda não fez sua inscrição no Festival SGB, não espere mais - faça sua pré-inscrição no site, doe e garanta sua participação.

 

Quantas atividades posso escolher?

As atividades paralelas acontecem no sábado, dia 1 de setembro. Todas as rodas de conversa acontecem no mesmo horário, pela manhã. Assim como as oficinas, que acontecem todas simultaneamente à tarde. Convidamos você a conhecer as opções e escolher uma de cada. Quando receber o nosso e-mail, não marque bobeira! As atividades estão sujeitas a lotação.

LIDERANÇA

(LOTADA) Identidade de Gênero e Transexualidade sem tabu

com Luca Scarpelli (Transdiário)

Diariamente nos deparamos com questões de gênero e nem sempre temos o espaço para explorar nossas dúvidas a respeito da temática. Identidade de gênero, transexualidade e assuntos relacionados ainda aparecem como tabu em diversos âmbitos da sociedade. E se pudéssemos derrubar estes tabus em uma roda de conversa?

Quem facilita este papo é o Luca, um homem trans, publicitário e youtuber. É o fundador do canal Transdiário, que surgiu para documentar a sua transição de gênero, mas acabou indo muito além disso. Luca percebeu que por meio da informação - passada assim, sem tabu -, é possível transformar a vida de pessoas trans e não-trans.

(LOTADA) Novos modelos: Organizações em Rede da Nova Economia

com Max Nolan Shen (the forest)

Estamos vivendo na era da sociedade em rede. Isso traz um grande impacto nas organizações, que começam a sair do modelo hierárquico tradicional em que prevalece a lógica do comando e controle para modelos mais orgânicos e fluidos, que seguem a lógica das redes abertas e distribuídas. Neste sentido, as organizações estão experimentando novos modelos de governança, mais horizontais e colaborativos.

Max é um iniciador de projetos da nova economia, apoia outras pessoas e organizações a ganharem consciência das leis sistêmicas. Sócio-fundador da the forest, desenvolve mentoria, workshops e palestras em temas como colaboração, comunidades, empreendedorismo social, co-aprendizagem e propósito.

(LOTADA) Folga para conversar: em um mundo conectado, como dialogar de forma humana e consciente? (haverá intérprete de Libras)

com Rodrigo Borges

Nesta roda de conversa, os participantes irão dialogar sobre as questões essenciais da nova era, unir as diferentes visões para tentar enxergar uma verdade maior. Em uma sociedade conectada através de tecnologias exponenciais, temos a chance de trocar nossas diferentes visões de vida em tempo real, para investigarmos juntos os problemas do mundo e descobrir suas possíveis soluções. Mas como fazer isso de forma humana e consciente?

Rodrigo Borges fundou o projeto Folga na Direção, que tem entre os seus objetivos gerar intercâmbio de conhecimento, impulsionar líderes locais e descobrir iniciativas transformadoras - criando uma rede que se apoia e impacta positivamente a sociedade.

EMPREENDEDORISMO

A contribuição dos negócios comunitários sustentáveis para a conservação da biodiversidade

com Carina Mendonça Pimenta (Conexsus)

O objetivo desta roda de conversa é apresentar experiências do universo de empreendimentos comunitários e arranjos produtivos ligados às cadeias da sociobiodiversidade, bem como evidenciar a contribuições de ações relacionadas para a conservação da biodiversidade. Para fomentar a discussão, serão apresentados resultados do Mapa e do Panorama de Negócios Comunitários Sustentáveis realizado pela Conexsus. A Fundação Certi também estará presente trazendo os resultados do projeto Araucária +, idealizado em conjunto com a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, que visa valorizar a Floresta com Araucárias por meio do fomento a novos negócios sustentáveis que possam promover sua conservação.

Carina é diretora da Conexsus - Instituto Conexões Sustentáveis, que se propõe a fortalecer o ecossistema de promoção de negócios sustentáveis e acelerar a transição para economia de baixo carbono em países estratégicos da agenda climática global (como o Brasil).

Empreender x Maternar: tem diferença?

com Fernanda Steinbruch Araujo (Conexão Pandora)

Fernanda é CEO e co-fundadora da Conexão Pandora. Mãe do Davi, de 3 anos, PhD em Design com ênfase na experiência do usuário, usabilidade de produto e serviço, ela adora pessoas, se conectar com novas histórias e idealizar novos negócios.

E por sua trajetória como mãe e empreendedora, questiona se ser mãe e empreender são funções díspares. No dia a dia de sua iniciativa, a Conexão Pandora, observa que é possível apoiar mães (e pais) a realizarem projetos mantendo-se próximos a seus filhos.  Nesta roda de conversa, aborda habilidades e competências do empreendedorismo e da maternagem que podem ser complementares para a realização pessoal e profissional.

A transição de uma ONG para um negócio social: O case da Renovatio e VerBem

com Ralf Toenjes (Renovatio / VerBem)

Ralf foi eleito pela Forbes como um dos jovens mais promissores do Brasil antes dos 30 anos na lista UNDER30 e Empreendedor Social de Futuro do ano em 2017 pela Folha de São Paulo e Fundação Schwab.

Nos últimos quatro anos a sua ONG, Renovatio, captou recursos de diversas empresas e instituições e conseguiu doar mais de 25.000 óculos em 20 estados brasileiros. Com o sonho grande de impactar 1 milhão de pessoas até 2021 surgiu a VerBem, um negócio social que visa democratizar o acesso a visão. Nesta roda de conversa os participantes terão a oportunidade de conhecer esta história e debater sobre modelos de negócios sociais híbridos.

(LOTADA) Empreender e Intra-empreender com impacto no Brasil - Desafios em um cenário incerto

por Fundação Arymax

Vivemos em um país com histórico de rápido desenvolvimento, com instabilidade política e econômica, de contexto sócio-cultural específico e contrastante. Para navegar nesse cenário de incerteza, grandes e pequenas organizações buscam instrumentos para se orientar, inovar seus produtos e serviços mas, principalmente, descobrir como cada indivíduo pode oferecer seu máximo potencial dentro desse contexto.

Fruto da sua ampla experiência com formação de lideranças para a transformação, a Fundação Arymax oferece essa Roda de Conversa no Festival para compartilhar pontos de vista, reflexões e ferramentas para que empreendedores e intra-empreendedores possam ter nas mãos novas lentes e ferramentas para atuar e transformar nosso país.
 
Longevidade: da inclusão digital a geração de renda

com Giseli Mara Schena (Sesc) e Mórris Litvak (MaturiJobs)

Estamos vivendo a revolução da longevidade. Conforme pesquisas recentes do IBGE em 2060, um quarto da população terá mais de 65 anos. Ainda de acordo com esta pesquisa, em 2047 a população brasileira entrará em declínio gradual chegando a 228,3 milhões em 2060. Neste sentido, há a necessidade de pensarmos e agirmos já com estratégias e ações para que pessoas vivam mais e melhor, incluídas socialmente, digitalmente e no mercado de trabalho. E é exatamente este o assunto da conversa!

Giseli é gerente do programa Assistência do Sesc/SC e atua em projetos sociais que enfatizam sustentabilidade, inclusão e apoio social, entre eles o projeto Idoso Empreendedor. Mórris fundou a MaturiJobs, um negócio social que tem o intuito de ajudar as pessoas maduras a terem a oportunidade de continuarem ativas e compartilhando suas experiências pelo tempo que quiserem.

IMPACTO SOCIAL

O futuro da infância: as crianças, as tecnologias exponenciais e as relações humanas

com Fernanda Furia (Playground da Inovação)

Crianças na Quarta Revolução Industrial, infância monitorada, Big Data infantil, relações afetivas entre crianças e máquinas inteligentes, infância e negócios de impacto social, responsabilidades e desafios éticos… Temáticas não faltam à essa roda de conversa, que será uma oportunidade de entrar em contato com informações de ponta, trocar experiências ricas e entender melhor sobre esse assunto urgente e relevante no mundo atual.

Fernanda é consultora e referência no que diz respeito a inovação em Psicologia e Educação. Fundadora do Playground da Inovação, acredita que a intersecção entre Psicologia, inovação, tecnologia, educação, ciência do brincar e os estudos sobre o futuro traz um conhecimento poderoso para entender as novas gerações e o impacto das tecnologias avançadas nos seres humanos.

Caçadores de Bons Exemplos: vale a pena ser a mudança que você quer ver no mundo

com Iara e Eduardo Xavier (Caçadores de Bons Exemplos)

Qual é o verdadeiro significado da vida? Realmente há apenas más notícias acontecendo? A partir dessas perguntas, nesta roda de conversa Iara e Eduardo mostram histórias emocionantes e inspiradoras que descobriram viajando pelo Brasil desde janeiro de 2011. A partir das experiências vividas nos mais de 400 mil quilômetros viajados e trocas com mais de 1.600 projetos sociais, pretendem mostrar que há muito mais pessoas fazendo o bem do que o mal - só precisamos começaram a falar mais sobre isso.

Os Caçadores de Bons Exemplos já palestraram no Brasil e fora dele, atingindo um público de mais de 300 mil pessoas. Escreveram um livro que será distribuído gratuitamente aos participantes dessa roda de conversa.

Um vida mais sustentável pode salvar os oceanos. É possível transformar isso em cultura?

com Larissa Kroeff (Meu Copo Eco) e Thaís Stevin (Route Brasil)

8 milhões de toneladas de lixo plástico são lançadas aos oceanos todos os anos (ONU Meio Ambiente). Se não reduzirmos o ritmo de consumo, principalmente dos descartáveis, a perspectiva é de que em 2050 haja mais plástico do que peixes nos mares. E é claro, isso ameaça a vida marinha e estes gigantescos ecossistemas. Qual a real gravidade? Como mudar o cenário? Quem já está trabalhando para transformar a realidade? Como posso participar? Estas são algumas das questões que norteiam a roda de conversa, que irá focar em compartilhar soluções que podem funcionar nos âmbitos pessoal, profissional e político.

A atividade será conduzida por duas pessoas que estão a frente de iniciativas que contribuem positivamente para esta realidade: Larissa, do Meu Copo Eco, vai trazer o viés das empresas e políticas públicas, enquanto Thais vai falar sobre o engajamento individual e movimentos nas esferas prevenção, interceptação e transformação.

(LOTADA) A Inovação pode vencer a intolerância?

com Tamila dos Santos (Grupo Rede+)

As diversidades de gênero, sexualidade e raça trazem demandas sociais cada vez mais latentes. A intolerância a estes grupos se reflete em números altíssimos de racismo, feminicídio e lgbtfobia, contextos no qual o Brasil obtém grande destaque. Nesta roda de conversa, os participantes vão discutir a partir de estudos de caso se e como ações ligadas à inovação, inovação social, design thinking e startups podem influenciar na resolução destes conflitos.

 

Tamila é assistente social, especialista em Gestão da Inovação social pelo Instituto Amani e Fellow SGB. Tem experiências em educação empreendedora, inovação, diversidade, desenvolvimento de juventude e comunidade.

(LOTADA) Como diversidade e inclusão social nos negócios podem contribuir para uma sociedade mais justa e melhor

Guilherme Oliveira (Gerente de Juventude – Instituto Coca-Cola Brasil), Luiz Quinderé
(Empreendedor – Brownie do Luiz) e Yuri Ferreira de Souza (Ex-participante do Coletivo Jovem)

Em tempos de instabilidade econômica e falta de oportunidades de trabalho, como podemos colaborar para a transformação da sociedade e encontrar caminhos para o crescimento econômico inclusivo? Nesta roda de conversa, vamos refletir sobre a potência que é a combinação de startups e empreendedorismo, no contexto de inovação representado pelo Social Good Brasil, em prol da empregabilidade de jovens.

Você vai conhecer boas histórias. Uma delas é a de Yuri de Souza, que nasceu em uma comunidade de baixa renda carioca, cheio de sonhos e com uma série de barreiras a superar. Junto ao programa Coletivo Jovem, do Instituto Coca-Cola Brasil, ele teve seus talentos potencializados e se conectou com uma vida produtiva. A outra é de Luiz Quinderé, jovem que pratica o empreendedorismo consciente e promove inclusão social por meio do seu negócio.

TECNOLOGIA

(LOTADA) Dados e novas narrativas: o caso da intervenção federal e ocupação militar da Maré

com Fábio Silva (Datalabe)

Fábio é jornalista de dados do Datalabe. É comunicador, pesquisador e empreendedor social. Além de Fellow SGB, é membro do movimento Global Shapers e acredita na comunicação como um ferramenta poderosa para a transformação social.

Estudou audiovisual no Complexo da Maré e fez um filme sobre os empreendimentos locais. Assim, que percebeu que existia uma cultura efervescente e potente na favela, das quais nunca ouvimos falar. A partir disso compreendeu a importância de contar novas histórias sobre o seu território. Nesta roda de conversa, irá abordar a importância de se disputar a narrativa por meio da coleta de dados: sobre a favela e para a favela.

(LOTADA) Como utilizar dados para o bem? (haverá intérprete de Libras)

com Maria Queiroz (Cianet)

Em tempos de tecnologias exponenciais, todas são nutridas, rodeadas, sustentadas por dados. Há quem diga que dado é o novo petróleo. Mas para quem? Hoje os dados estão alimentando desde as gigantes do mercado até o pequeno negócio: melhorar operação, ajudando a diminuir custos, aumentar lucros, prever vendas, prever cancelamentos e mais um bilhão de casos. Dados são poderosos, por que não usar por e para o povo? Essa é a provocação que precisamos e iremos fazer.

Maria é analista de Business Intelligence na Cianet. É apaixonada por dados, tecnologia e pessoas - mas principalmente pelo poder que essas três coisas tem juntas, em sinergia. Foi finalista de Santa Catarina no Saferlab, um concurso nacional pela Safernet, Google e Unicef para criar soluções de contra-narrativas ao discurso de ódio.

O futuro tecnológico da saúde é... Ser humano

com Rogério Malveira Barreto (Pulsares)

Da inteligência artificial à realidade virtual, a saúde está sendo transformada pelas novas tecnologias. Tanto que é o mercado que mais cresce no mundo. Mas entre o artificial e o virtual, onde fica o humano? Quem cria e quem recebe essa inovação? O que de fato está sendo inovado na Saúde? O que vai mudar (ou mesmo já mudou e nem percebemos)? Muitos pontos de vista e respostas existem. O convite nesta roda é conversar sobre tudo isso.

Rogério é médico e estuda comunicação em saúde há 6 anos, tendo criado uma nova receita médica eletrônica cinco vezes mais compreensível. Assim foi criada a Pulsares, onde é CEO: um negócio social que usa tecnológia para tornar saúde fácil a todos. É Fellow SGB, foi segundo lugar no SGB Lab 2015 e é Semifinalista Ashoka Changemakers.

(LOTADA) “O que” comunicar X “Como'” comunicar: a necessidade de criar narrativas inovadoras

com Gabriele Roza (Agência Pública)

Quais são as demandas narrativas da geração que está mais atenta ao impacto gerado na comunicação de uma ideia? Em nossos dias, comunicar com inovação, sensibilidade e emoção é tão ou mais importante do que pensar o conteúdo. Nesta roda de conversa, o papo é sobre como a narrativa transmídia e a tecnologia social juntas podem colaborar para a construção de uma narrativa inovadora que gera aproximação, empatia e alerta para as questões sociais.

Gabriele é repórter da Agência Pública no Rio de Janeiro e coordenadora de comunicação da Umunna, rede que visa estimular a participação política de mulheres negras por meio de dados e narrativas. Ganhou o 34º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo.

LIDERANÇA

(LOTADO) Liderança Contemporânea sob o olhar das novas economias e do Design Thinking

com Péricles Borba (Lugh Office)

Péricles é Fellow SGB, empreendedor social e consultor. Atualmente, estuda e cria novas metodologias para autoconhecimento e despertar o potencial empreendedor que existe em cada um. Neste workshop, propõe uma análise conceitos de comportamento e liderança com o olhar voltado para as novas economias e atuais mudanças. Os participantes vão aprender novas ferramentas e mindsets para aprimorar seu comportamento enquanto líder. É para todos que querem conhecer uma nova forma de pensar em soluções e desejam aprimorar sua capacidade de liderança por meio do Design Thinking, ampliando a capacidade de trabalhar em equipe e desenvolvendo empatia.

(LOTADO) O Pathwork da Liderança: uma experiência

com Alexandre Berg (Associação Pathwork RS/SC)

Lidamos com autoridades desde o momento que surgimos nesta vida e nosso sistema de crenças sobre elas vão determinar o exercício da nossa liderança externa e interna. Neste workshop estes conteúdos são trabalhados com base nos tipos de personalidade que cada participante se identificará, através da experiência de um lugar de liderança que é realizado de maneira lúdica. Alexandre é doutor em computação, Pathworker Helper e professor universitário. Pesquisador desde os computadores até a mente e emoções humanas.

(LOTADO) Brotherhood e O Caminho das Virtudes

com Gustavo Tanaka (Brotherhood)

Uma vivência prática para entender a importância de espaços dedicados aos homens e busca de desenvolvimento pessoal, partindo da premissa de que homens precisam desenvolver virtudes e disciplinas que não foram ensinadas nas escolas, nem no ambiente de trabalho. Serão apresentados alguns conceitos básicos de virtudes, meditações, dinâmicas corporais e partilha de aprendizados. O workshop é exclusivo para homens. Gustavo é autor dos livros 11 Dias de Despertar e Depois do Despertar. Foi três vezes palestrante TEDx e entrou para lista dos 15 brasileiros mais influentes do Linkedin no prêmio Top Voices. 

(LOTADO) Folga Exponencial: O poder de ser eu em um mundo tecnológico

com Rodrigo Borges (Folga na Direção)

O Folga na Direção abre espaço em meio ao pensar e agir contínuo da sociedade contemporânea, para literalmente dar uma folga para os participantes refletirem, repensarem e resetarem. A partir desse lugar de qualidade, vamos colocar a mão na massa, com ferramentas e dinâmicas, para investigar como compartilhamos com a sociedade nosso potencial de ser humano através do pensar e agir.

Rodrigo Borges fundou o projeto Folga na Direção, que tem entre os seus objetivos gerar intercâmbio de conhecimento, impulsionar líderes locais e descobrir iniciativas transformadoras - criando uma rede que se apoia e impacta positivamente a sociedade.

(LOTADO) Empoderamento e Protagonismo Social através da Cultura Afro-brasileira

com Mathizy Pinheiro (É Da Nossa Cor/Oju Orum)

A partir da cosmovisão africana e da cultura afro-brasileira, neste workshop pretende-se exercitar o  empoderamento, protagonismo e potencializar pessoas para gerar um engajamento maior para mudanças sociais e para a construção de relações mais equilibradas e justas.

Mathizy é psicóloga e idealizadora da iniciativa social É Da Nossa Cor, voltada para o empoderamento de crianças por meio da cultura afro-brasileira, e da iniciativa Oju Orum, com foco no acolhimento e potencialização de mulheres negras. Pelo impacto social de seu trabalho, recebeu a medalha Antonieta de Barros e o prêmio Luis Gama.

(LOTADO) Fluxonomia 4D: Futurismo e novas economias

com Lala Deheinzelin (Crie Futuros)

A proposta deste workshop é aprender a Fluxonomia 4D na prática. 4D inclui as dimensões culturais, sociais, ambientais e financeiros. Abre possibilidades como: verificar se seu negócio está adequado ao futuro, aproveitar as novas economias para ter resultados exponenciais, usar ferramentas de futuro para solucionar urgências do presente, redesenhar serviços, criar uma visão comum de futuro, verificar se as novas tecnologias estão sendo devidamente utilizadas, identificar recursos não monetários e considerar resultados a partir deste paradigma.

Lala é futurista desde 1995, considerada uma das mais relevantes da America Latina e Central, e especialista em Novas Economias. Foi indicada como uma das 100 mulheres do mundo que estão cocriando um futuro colaborativo.

(LOTADO) Como blockchain pode acelerar a implementação dos ODS?

com May East (Gaia Education) e Dani Redondo (Instituto Coca-Cola Brasil)

Alinhar as estratégias do negócio para apoiar os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU) é incrivelmente atraente. Segundo o relatório “Better Business, Better World”, se os ODS fossem colocados no centro das estratégias econômicas globais, até 2030 poderiam ser gerados 380 milhões de empregos e até US$ 12 trilhões. Conceitos e tecnologias de ponta, como títulos verdes, laboratórios de inovação, blockchain, moeda solar, experimentação comportamental e finanças alternativas estão surgindo como alternativa e têm o potencial de mudar a natureza do desenvolvimento e do trabalho humanitário. Então, como é possível integrá-los a favor dos ODS?

O workshop será facilitado por May East, educadora de sustentabilidade, planejadora espacial, inovadora social e CEO do Gaia Education, e Dani Redondo, que é Diretora Executiva do Instituto Coca-Cola Brasil e acredita no poder de transformação de indivíduos e organizações para reduzir a desigualdade social.

EMPREENDEDORISMO

(LOTADO) Empresas B: Qual mundo queremos construir como humanidade?

com Márcio Cabral (Impact Hub Floripa) e Jean Roversi (Plant - Fazendas Urbanas)

Márcio e Jean são empreendedores e co-líderes da Comunidade B Floripa, movimento de expansão do Sistema B em Santa Catarina. Neste workshop, propõem uma descoberta prática e coletiva sobre tomada de decisões em empresas. Os participantes serão envolvidos na simulação de um cenário catastrófico (possível) e no conjunto de boas práticas para evitá-lo dentro de quatro áreas de impacto: Governança, Colaboradores, Comunidade e Meio ambiente. Cada tomada de decisão é um movimento. Inspire-se, Reflita e Regenere-se.

(LOTADO) Juventude Conectada: Um olhar para o empreendedorismo entre jovens no Brasil (haverá intérprete de Libras)

com Marisa Castro Villi (Rede Conhecimento Social)


Nesta era digital, onde atuamos em rede e estamos o tempo todo conectados, o jovem surge como um grande protagonista. A Fundação Telefônica Vivo acredita no poder transformador do conhecimento e aposta em estudos e pesquisas sobre juventude e cultura digital. Inspirados por esse pensamento, em parceria com o Ibope Inteligência e a Rede de Conhecimento Social, escutaram uma juventude que acredita que empreendedorismo tem a ver com propósito de vida e realização pessoal (e não apenas geração de lucro). O workshop é um convite para conhecer a pesquisa e discutir a temática.

Maternidade B: uma nova forma de empreender

com Karoline Fendel (Conexão Pandora)

A vivência da maternidade pode ser uma oportunidade para empreender e buscar soluções  para problemas ambientais e sociais, principalmente no âmbito da maternidade, do feminino e das crianças. Neste workshop serão apresentados casos de mães que olharam para suas dificuldades a fim de buscar soluções inovadoras para seus problemas e será realizada uma dinâmica de levantamento de problemas e soluções criativas, além de um momento de reflexão e autoconhecimento resgatando o misticismo e a sensibilidade do círculo de mulheres.

Parceira do Conexão Pandora, Karoline é formada em Ciências Biológicas e permacultura. Mãe, empreendedora e astróloga, acredita no potencial humano, no empoderamento das pessoas e na natureza autêntica de cada ser.

IMPACTO SOCIAL

(LOTADO) Desenho Disruptivo: a importância de abraçar a complexidade

com Diego Del Moral (Coletivo de Desenho Disruptivo)

Quando queremos promover mudanças positivas no mundo, a intenção é fundamental; mas boas intenções sozinhas não garantem bons resultados. No mundo do impacto social, as "consequências não-desejadas" são mais comuns do que se imagina. Neste workshop, a proposta é exercitar seu cérebro para a complexidade e o pensamento sistêmico: aprender algumas ferramentas para mapear um sistema, identificar pontos de alavancagem e identificar sua participação social em um contexto complexo. Diego é co-fundador do Coletivo de Desenho Disruptivo. Amante do graffiti e empreendedor social, trabalhou com direitos humanos de imigrantes no Consulado Mexicano nos Estados Unidos e com responsabilidade social corporativa para pequenas e médias empresas no Conselho de Câmaras Industriais de Jalisco, México. Desenhou e dirigiu uma incubadora de inovação social no ITESO e foi professor em duas universidades particulares e uma pública em Guadalajara. 

(LOTADO) Plante comida, não gramado: agricultura urbana e seus impactos

com Jefferson Pietroski (Malha Viva / HOCCA-UFSC)

Estudante de Agronomia e futuro agricultor, encantou-se pela Permacultura desde o primeiro contato. É técnico do projeto da Horta Orgânica do Centro de Ciências Agrárias da UFSC. Jefferson vai contextualizar a agricultura urbana, explorar sua importância e os impactos sociais e ambientais que pode levar para as comunidades, o workshop propõe colocar a mão na terra para os participantes pensarem juntos em intervenções comestíveis.

(LOTADO) E se construir o mundo dos seus sonhos pudesse ser rápido, divertido e sem botar a mão no bolso? (haverá intérprete de Libras)

com Edgard Gouveia e Carolina Bernardes (livelab)

Uma vivência para cada indivíduo se conectar com seus super-poderes e descobrir como pode ajudar as pessoas a sua volta a descobrirem suas melhores versões. O workshop é inspirado na Jornada X LAB, um game para estimular o surgimento de equipes comunitárias para inovação social, identificando e treinando grupos de jovens para o empreendedorismo, oferecendo ferramentas para desenvolverem seus talentos e realizarem os sonhos de transformação socioambiental de suas cidades, bairros e/ou comunidade.

Edgard Gouveia é o querido mestre de cerimônias do Festival SGB e fundador do Livelab, que tem a missão de despertar o poder do coletivo para viver jornadas transformadoras. Ele facilita este workshop na companhia da diretora do projeto, Caroline Bernardes.

(LOTADO) Gamificação, modelos de envolvimento e impacto social

com Ana Dantas (ICom)

Neste workshop, a proposta é compreender como a gamificação cria modelos de envolvimento completamente novos, onde o alvo são as pessoas e o objetivo é envolver e motivar para o promover o impacto social.

Ana é professora, vice-presidente do ICom - Instituto Comunitário Grande Florianópolis, instrutora na Udemy, mentora e consultora na área socioambiental. Desenvolveu o projeto “Cor Ação”, aplicativo que utilizou gamificação para incentivar a doação de sangue.

(LOTADO) Ideias que movem: Mobilização e Engajamento de Impacto

com Renato Guimarães (Greenpeace Brasil)

Renato é diretor de engajamento do Greenpeace Brasil. É jornalista com mestrado em relações internacionais. Sempre trabalhou com temas ligados à mobilização e engajamento em causas de impacto social. Trabalhou em organizações como Oxfam GB, Purpose, Instituto Akatu e IFC/Banco Mundial. Foi sócio de duas consultorias – Gestão Origami e Together.

Neste workshop, irá compartilhar ideias e conceitos sobre mobilização e engajamento e experimentar juntos, de forma bem interativa, algumas soluções que possam gerar impacto social.

(LOTADO) Comunitas e Colab: modelo de negócios de impacto social para relação com governos

com Patrícia Loyola (Comunitas) e Gustavo Maia e Paulo Pandolfi (Colab)

A partir das experiências da organização social Comunitas e da startup Colab, buscaremos trazer outros empreendedores sociais que têm interesse em desenvolver um negócio com relações com o governo para entender seus desafios e as dores que tentarão amenizar no cliente, os modelos de contratação pelo governo e refletir sobre seus impactos.

Patricia é diretora da Comunitas, organização social que tem como objetivo contribuir para o aprimoramento dos investimentos sociais corporativos, estimular a participação da iniciativa privada no desenvolvimento social e econômico do país e apoiar a gestão pública municipal.

Gustavo e Paulo são fundadores do Colab, rede social para cidadania premiada como melhor aplicativo urbano do mundo, startup de maior impacto social e maior potencial global pelo BID. O Colab tem mais 150 mil usuários no Brasil e 100 prefeituras como clientes.

TECNOLOGIA

(LOTADO) Disseminando o "I LOVE DATA": Como ensinar diferente?

com Jaque Buckstegge (IBPAD)

Jaque é pesquisadora e professora no Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD) e tem foco em comportamento político digital. É mestre em Ciência Política. Sempre trabalhou com educação e metodologia de pesquisa e análise de dados. Recentemente teve a oportunidade de adaptar a metodologia para comunidades rurais quilombolas no Pará.

Neste workshop, traz um novo olhar sobre a lógica de análise de dados e de que forma é possível transmiti-la, permitindo uma real transformação social. Por meio de cases e ferramentas, vai tratar sobre o desafio que está presente em salas de aula em universidades renomadas pensando: ter responsabilidade pedagógica para democratizar o ensino de metodologias pesquisa e análise de dados.

(LOTADO) Construindo novas realidades com a tecnologia VR: uma experiência

com Ligia Zotini (Voicers)

Ligia tem 15 anos de experência na indústria de tecnologia. Foi head marketing em grandes empresas como a IBM. Fundadora do Voicers, que tem como objetivo construir futuros exponenciais usando tecnologia, tendências e pessoas.

Propõe neste workshop uma experimentação imersiva da tecnologia VR (Virtual Reality), levando os participantes compreenderem na prática que o potencial desta tecnologia vai muito além dos jogos e entretenimento. Essa nova tecnologia propicia a construção de novas realidades. E para isso, desmaterializar o mundo atual será necessário.



 
 

Apoio


 
 

Master


 
 

Senior


 
 

Iniciativa


 
 

Parceiros Prata


 
 

Parceiros Bronze


 
 

Apoio



Parceiros institucionais



Apoio de mídia


 
 

Realização