Intraempreendedorismo e Fellow SGB, o que tem a ver?

Inovação para dentro: é isso o que fazem os intraempreendedores. Eles são os colaboradores que criam atividades e orientações inovadoras para o desenvolvimento de novos produtos, técnicas e estratégias dentro de empresas consolidadas. Para ser um empreendedor “para dentro” não é necessário ter sua própria empresa ou criar um novo negócio, basta saber encontrar oportunidades nos cenários em que você está inserido. Quem encontrou no Fellow SGB uma oportunidade de fortalecer sua empresa enquanto impacta positivamente a sociedade foi a Marcia Gonçalves, de Gravataí, no Rio Grande do Sul.

A Desenvolver Inclusão & Diversidade foi criada pela Marcia em 2007, quando ela nem estava familiarizada com o conceito de “negócio social”. Mas foi isso que ela criou: uma consultoria especializada na inclusão e empregabilidade de pessoas com deficiências, que auxilia empresas a serem mais acessíveis. Além disso, ajuda a empoderar pessoas com deficiências para o trabalho. A empresa foi um grande aprendizado na vida da Fellow, que descobriu que poderia alcançar melhorias sociais para sua família enquanto trazia melhorias para a vida de outras pessoas.

A empatia e o trabalho com propósito consolidou a empresa de Marcia, que hoje também oferece serviços gratuitos para organizações sem fins lucrativos. Mas nem o tempo, nem estabilidade da empresa, nem o impacto social gerado até então eram suficientes (eita mulher inquieta!). Em 2017 a empreendedora participou do processo seletivo do Fellow SGB e foi selecionada para ser uma disseminadora da nossa metodologia. Depois da capacitação, ela saiu com metas estabelecidas para a Jornada do Agente: envolver jovens e adolescentes em seus ensinamentos, conseguir alcançar os serviços públicos em eventos e atuar dentro de empresas.

Até agora, os objetivos da Fellow estão sendo alcançados. Ela conseguiu atrair 15 jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica para participarem de uma jornada, entrou em contato com a prefeitura de sua cidade, que irá organizar uma turma de 25 trabalhadores públicos para receberem as instruções da Fellow e empresas clientes aceitaram (com muito prazer!) terem dentro da organização uma formação de Agentes SGB. Sensacional, né?!

A meta de envolver empresas na Jornada do Agente trouxe para a Marcia uma oportunidade intraempreendedora, em que ela poderá envolver todos os colaboradores de sua empresa em uma nova formação e oferecer novas atividades para seus clientes. “Eu fiz escolhas que estão de acordo com os meus valores, para melhorar minha relação comigo mesma, com o mundo e também no ambiente profissional. Poder levar uma formação de empreendedorismo social para meus clientes também é um atrativo para minha empresa”, diz Marcia.

Além disso, as capacitações oferecidas no Fellow SGB estão sendo úteis no dia-a-dia do seu trabalho. “Eu sinto que estou fazendo uma pós-graduação em Inovação Social no programa de Fellows do Social Good Brasil. Para quem quer empreender, as capacitações que temos ali dentro são mais vantajosas que qualquer cursinho. Temos acesso a conteúdos de muita qualidade, como os do Atados e da Manifesto 55, pelos quais eu me interesso há anos. Outro dia tive que montar um cronograma para um cliente: acessei um toolkit e pude colocar no papel o que estava na minha cabeça”, conta Marcia. “Nós precisamos mudar o mundo para melhor enquanto melhoramos a nós mesmos”, completa.  

Dica do SGB: A Marcia trabalha em um negócio social, mas você não precisa ser dessa área para criar a conscientização do empreendedorismo para resolver problemas sociais. Entregue seu desafio e seja um Fellow SGB!