O que é Data Storytelling: saiba como contar histórias usando dados

narrativadedados

Em uma sociedade cada vez mais inundada de informações, pode ser um grande desafio captar a atenção das pessoas. Contar histórias é sempre um recurso atrativo, afinal, é mais fácil lembrar de alguém que passou por desafios de saúde mental durante a pandemia do que apenas os números nas manchetes. Por isso, vamos te mostrar como criar histórias usando dados – a famosa técnica de data storytelling. Para levar qualquer mensagem adiante (e esperamos que as boas sejam sempre as primeiras! 🙂 

Seja argumentando suas decisões, criando narrativas ou construindo visualizações de dados a partir de figuras e gráficos, o primeiro passo é entender que: não adianta ter em mãos os dados se eles não forem usados e compreendidos de forma útil, fácil e interessante. 

  • Útil: pode servir ou ser necessária para uma tomada de decisão.
  • Fácil: que é compreendida sem esforço, por qualquer pessoa.
  • Interessante: para despertar interesse e motivar quem precisa consumir essa informação a usá-la de fato.

Vale ressaltar que existe diferença entre a narrativa e a visualização de dados. Na primeira, contamos uma história. Já na visualização, você pode apenas representar os dados graficamente. A comunicação em dados abrange ambos. Imagine que você vai criar uma apresentação institucional, com contexto, personagens e uma narrativa. Nela podem ter gráficos que demonstram o impacto do trabalho da organização, mas fica ainda melhor se você envolver o seu público numa história que fale sobre o que aqueles dados representam na vida das pessoas ou mostrar algumas pessoas por trás dos dados certo?

As pessoas por trás dos dados

Por trás dos dados, quase sempre existe uma pessoa. Ter consciência disso é importante para cuidar com as informações em mãos, ao olhar para os dados numa planilha, por exemplo. Todo CPF tem um pai, mãe, um gênero e uma raça. 

Na Era dos Dados,  com o processamento enorme de volumes de dados, os dados podem nos ajudar a encontrar verdades humanas, diminuindo os efeitos negativos da tecnologia que muitas vezes vêm em forma de um simples acesso a um site pedindo todos os seus dados.

Os dados são um meio de entender e atender pessoas, gerar mais impacto, ter insights a partir de comportamentos. É o que chamamos de humanização dos dados, uma tendência que vem se tornando relevante para todos: das ONGs às grandes marcas, passando pelos empreendedores sociais e governos também. As técnicas de data storytelling podem ser usadas para potencializar ainda mais as histórias. 

Para conhecer mais dessa temática, assista ao painel do Festival SGB 2020 com os convidados: Fernanda Nakazaki, gerente de Insights do Mercado Ads, Rodrigo Martins, juiz-corregedor, e Rodrigo Cunha, CEO da ProfilePR, conversam no Festival Social Good Brasil 2020

Data Storytelling no mundo corporativo

No mundo business, relatar dados se tornou um desafio para muitos analistas e executivos. As informações relevantes vêm se perdendo entre páginas e páginas de relatórios, e isso não pode acontecer! Para solucionar esse problema, cada vez mais empresas estão investindo na técnicas de storytelling. A partir de narrativas fortes e formatos mais atraentes, os profissionais esperam que suas análises sejam mais compreensíveis e geram melhores resultados. E eles parecem estar certos…

De acordo com a Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), pelo menos 45% dos 159 executivos entrevistados indicaram que conhecem aplicações de storytelling no mundo corporativo; cerca de 27% afirmaram usar storytelling em alguma área de sua empresa; e 22% disseram praticar a arte de contar histórias na organização em geral.

O sucesso da técnica se dá, segundo cientistas, pelo fato de que os seres humanos tendem a aceitar melhor uma ideia se for apresentada através de uma história. Automaticamente, o cérebro das pessoas busca conectar as informações novas com experiências passadas. Ao apresentar o conteúdo relevante dentro de um contexto relacionável, o assunto se torna mais pessoal e importante, e os dados são melhor assimilados.

Ao invés de perder tempo e a atenção do grupo com números brutos ou gráficos desinteressantes, vale inovar e buscar uma maneira criativa para destacar as informações pertinentes. Seja por texto, imagem, vídeo ou qualquer outra ferramenta comunicativa, o intuito é não só apresentar dados, mas transmitir conhecimento.

Explicar um assunto com profundidade, de maneira cativante, permite que a empresa verdadeiramente compreenda os detalhes de sua situação e possa agir com consciência sobre o assunto. Basicamente, os dados dizem muito, mas as imagens ajudam a comunicar ou até mesmo identificar conexões, padrões, tendências e outliers que de outra forma passariam despercebidos.

Em resumo, uma ótima comunicação de dados é uma mistura de informações consistentes com uma narrativa forte e um formato visual atraente. Procure entender e dar destaque às principais questões de interesse do público. Por último, lembre-se, o foco é comunicar as informações de maneira clara e cativante. Ou seja, a técnica é somente um complemento para ajudar na compreensão do conteúdo e facilitar a visualização das informações na prática.

Dicas práticas para você começar a usar o Data Storytelling e arrasar nas suas apresentações

O data storytelling é uma habilidade fundamental para qualquer pessoa e/ou profissional se tornar compreensível. Seja você um estudante argumentando sua decisão profissional ou um empreendedor social apresentando seu trabalho, saber como comunicar informações de maneira atrativa é a chave para a sua mensagem ir mais longe. 

Para te ajudar a dominar essa prática, aqui estão algumas dicas certeiras inspiradas nos ensinamentos da autora Cole Nussbaumer Knaflic, autora do livro “Storytelling com dados: um guia sobre visualização de dados para profissionais de negócios.”

  1. Realce o que é importante: Separe as informações por ordem de relevância e use cores, fontes ou formatos diferentes para destacar o dado principal dos demais.
  2. Elimine distrações: É importante inserir contexto, mas cuidado para não atrapalhar a entrega da mensagem principal com informações desnecessárias.
  3. Estética: Invista em designs estéticamente agradáveis. Esses aumentam as chances de sucesso da entrega e compreensão da mensagem.
  4. Peça feedbacks: Busque opinião de terceiros sobre o seu design. Procure entender as falhas na comunicação dos dados e como você pode consertar.

Comunicar com dados, uma competência essencial para a vida pessoal ou profissional

Seja na vida pessoal ou profissional, acreditamos que “contra dados, não há argumentos”. É por isso que em nossa metodologia exclusiva de educação em dados, usada como base para os nossos conteúdos e também em nossas formações para pessoas e organizações, está a competência “comunicar com dados”.

  • Por quê argumentar com dados?

Sem dados, tudo que você tem é uma opinião. E uma coisa é bem diferente da outra. 

  • Use dados de fontes confiáveis!

Com a disseminação das fake news, as notícias falsas, é cada vez mais importante checar as informações para não falar nada que não seja verdade e espalhar desinformação!

  • Sempre complemente o dado com um comentário ou uma avaliação crítica.

É muito importante que você explique o que o dado significa ou que você o relacione com outra informação apresentada anteriormente.

Uma coisa é você falar que “fluência em dados é uma habilidade necessária não mais para o futuro do trabalho, mas sim para o presente.”

Outra coisa é você sustentar essa afirmação trazendo o seguinte dado:

“80% das empresas vão iniciar o desenvolvimento da alfabetização em dados em 2020.”

Um outro exemplo ainda é: 

“Fluência em dados é uma habilidade necessária não mais para o futuro do trabalho, mas sim para o presente. Segundo a Gartner, 80% das empresas vão iniciar o desenvolvimento da alfabetização em dados em 2020. Isso demonstra que essa já é uma preocupação atual das empresas. Desta forma, podemos concluir que fluência de dados é uma habilidade necessária para quem está no mercado de trabalho ou vai entrar nele”.

É por isso que o data storytelling ou a comunicação com base em dados, é tão importante para construirmos um mundo melhor, com menos achismos e mais dados.

organogramanarrativadedados

Esse texto fez sentido para você?

Se sim, fica aqui o convite para que você se junte a nós nesse grande movimento para democratizar a Educação em Dados no Brasil!

Inscreva-se gratuitamente para participar do Festival SGB 365, uma pílula do Festival SGB, o maior evento de dados e tecnologia para impacto social do Brasil. O evento acontecerá online no dia 24/06/2021 das 9h às 21h30.

Fique ligado nas nossas redes sociais Instagram, Linkedin, Twitter e Youtube.

Agradecemos muito pela leitura e todo feedback é super bem-vindo! Feedback é dado, afinal!

Leia também

01 dezembro 2021
Assista ao 2º episódio da série Habilidados, do SGB e saiba como trabalhar com dados e como isso pode...
Ler Mais
01 dezembro 2021
O tema foi pauta da série Habilidados, do SGB, criada para ajudar as pessoas a darem seus primeiros mergulhos...
Ler Mais
19 novembro 2021
No Brasil, o contingente de mulheres empreendedoras endossa a importância do dia comemorativo.
Ler Mais
18 novembro 2021
O Banco Central estima que mais de 45 milhões de pessoas que não realizavam transações eletrônicas agora...
Ler Mais
16 novembro 2021
Social Good Brasil ganha prêmio que reconhece contribuição para alcançar os Objetivos do Desenvolvimento...
Ler Mais

Leia também

Como escolher uma profissão?
O celular pode te ouvir?
5 dados que explicam a relevância do empreendedorismo feminino
O Pix em dados - Veja o que dizem os números após o primeiro ano de implantação do sistema

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support