Como uma aliança de organizações de impacto está melhorando o acesso à água no Brasil

A iniciativa Aliança Água + Acesso, realizada pelo Instituto Coca-Cola Brasil, une 15 organizações na defesa dos direitos humanos e da preservação do meio-ambiente

No Festival SGB 2018, trazendo o tema ambiental, tivemos a May East, palestrante que é educadora de sustentabilidade, planejadora espacial e inovadora social reconhecida internacionalmente. Ela foi premiada, durante três anos consecutivos, como uma das 100 Líderes Globais de Sustentabilidade. May East esteve no festival com o apoio do Instituto Coca-Cola Brasil, que compartilha com a gente um mesmo objetivo: a busca de tecnologias para solucionar desafios da sociedade e do meio-ambiente.

O Instituto Coca-Cola Brasil tem, entre seus programas, a primeira rede com foco no acesso a água no Brasil. Focado em áreas rurais, a Aliança Água + Acesso, que em 2018 pretende dar acesso a água para mais de 50 mil pessoas, ampliou seu tamanho e este ano e está presente em 8 estados do Brasil. Conversamos com o coordenador do programa, Rodrigo Brito, que nos contou detalhes sobre como a rede está melhorando o acesso a água no Brasil. Para inspirar os empreendedores sociais que nos acompanham, selecionamos os três principais diferenciais e características da Aliança Água + Acesso:

Gestão da tecnologia de forma comunitária

 

As comunidades rurais que recebem as tecnologias provenientes da Aliança Água + Acesso são empoderadas a fazerem, elas mesmas, a gestão e manutenção dos sistemas adotados. “O projeto não é focado só na tecnologia ou na infraestrutura, e sim no modelo de gestão comunitário”, conta Rodrigo Brito.

No Brasil, de acordo com dados do IBGE, apenas 27,8% dos domicílios rurais estão ligados à rede de distribuição de água. No total, quase 20 milhões de brasileiros que vivem em áreas rurais estão sem acesso à água. Respeitando as particularidades das regiões e das comunidades, as tecnologias fornecidas pela Aliança Água + Acesso são autossustentáveis e descentralizadas. Dessa forma, a região passa a depender menos da assistência governamental, ao mesmo tempo que recebe um serviço de qualidade.

No modelo de gestão comunitária, as famílias pagam pequenas mensalidades para receber a água tratada em suas casas, mas são consideradas cocriadoras do sistema existente. Além de receber mais qualidade de vida e melhores condições sanitárias, as populações que fazem a gestão comunitária do tratamento da água desenvolvem uma consciência maior sobre a importância do bem comum e da preservação do meio ambiente.

Atuação em rede e em colaboração

 

Metade dos projetos de água e saneamento na América Latina fracassam em até cinco anos após sua implantação. Isso acontece, principalmente, devido a dificuldade de continuidade e sustentabilidade dos projetos. Para isso não acontecer, decidimos fazer o projeto em formato de rede”, diz Rodrigo.

Hoje, um total de 15 organizações fazem parte da Aliança Água + Acesso. Fazendo um intercâmbio de conhecimento entre iniciativas, as organizações sociais ampliam, revitalizam e criam estações de tratamento e abastecimento comunitário de água. Juntas, elas desenvolvem e replicam as melhores soluções.

“O normal de vermos é que os projetos não trocam experiências. Eles acabam tendo os custos duplicados, pois não se comunicam. O modelo de impacto coletivo da Aliança é otimizar os recursos, acelerar a curva de aprendizado e, principalmente, unir as organizações da sociedade civil trabalhando por uma só causa, em conjunto”, completa o coordenador da Aliança Água + Acesso.

Promoção de encontros para a troca de conhecimento

 

Através da rede, mas também para além dela, a iniciativa sempre busca disseminar as boas práticas, soluções e modelos utilizados nas comunidades. Isso é feito através de publicações, eventos, encontros e conteúdos disponibilizados nas páginas do Instituto Coca-Cola Brasil. O objetivo é incentivar melhores políticas públicas e programas relacionados ao acesso à água e ao saneamento em áreas rurais de todo o Brasil.

As organizações que querem fazer parte da Aliança Água + Acesso participam de editais que visam impulsionar as soluções mais efetivas pela própria aliança formada. Ficou com interesse? Clique aqui e saiba mais sobre a Aliança Água + Acesso.

O modelo de gestão do Instituto Coca Cola está baseado em empoderar pessoas para uma gestão mais colaborativa e na criação em rede. Os keynotes do Festival Social Good Brasil 2018 vieram para Florianópolis para falar sobre esse movimento, o que eles chamam de um “Novo Poder”. Conhece iniciativas que usam tecnologias para tornar o país mais sustentável? Conte pra gente!