SGB 10 anos – Brincando, mobilizando e aprendendo com Edgard Gouveia Júnior

Desde que o Social Good Brasil teve o privilégio de conhecer o Edgard Gouveia Júnior, em 2016, não nos largamos mais. O Edgard é parte do rosto, corpo, alma e coração de um dos nossos programas mais antigos e queridos: o Festival SGB

Mas ele é muito mais do que isso. A lista de tudo o que ele é, é longa. Arquiteto e urbanista, pós-graduado em jogos cooperativos, empreendedor social e presidente e co-fundador do LiveLab, fundador e presidente da Epic Jorney, Fellow Ashoka, Berkana Exchange e muito mais. Mas pra gente, ele é um exemplo de como os encontros são transformadores

Se você já esteve em algum dos nossos eventos, deve lembrar dele lá, no nosso palco. A cada dinâmica nos ajudando a nos conectarmos com quem está por perto. Trazendo palavras e experiências que ressoam para muito além daqueles dias que passamos juntos. Como ele mesmo diz, ele “não se cansa de colocar as pessoas para brincar”. E acredita que é assim que agente pode mudar o mundo de um jeito rápido, divertido e sem colocar a mão no bolso. 

Mobilizando a si mesmo

A gente aprendeu tanto com o Edgard ao longo dos últimos anos, que foi uma honra saber que ele também pode aprender com a gente. O Social Good Brasil sempre foi uma organização marcada pela liderança feminina e comprometimento com a equidade de gênero. Mulheres incríveis passaram por nós ao longo desses últimos 10 anos. Por isso, para o Edgar, um dos principais aprendizados em estar com a gente foi a conexão com o feminino.

Entre acertos e erros, Edgard conta que a partir das suas experiências no palco do Festival SGB saiu com abertura para entender o sistema de crenças que sustenta o machismo. Começou a ler muito mais, conversar com as amigas e com muita abertura olhar para isso: “Acreditar que não é machista é como ver um rato em casa e dizer: ‘mas como assim tem um rato? A casa é limpa’. Tem que procurar o rato, investigar para transformar e dissolver”, exemplifica. 

Seu apoio na inclusão das pessoas com deficiência também foi marcante, fazendo com que fossem vistas, ouvidas e acolhidas em um workshop e também no palco principal: “Ao começar a brincar com eles no palco, eles viraram sujeitos. Tem que desaprender muita coisa pra aprender até a dar um abraço. Esse direito ao afeto, são narrativas internas. Tinha gente que não escutava, outros que não enxergavam, outros que não falavam. Fiquei emocionado ao vê-los felizes. ‘Existo, tô aqui'”.

Mobilizando desde milhares… Até 2 milhões

Bom, as milhares de pessoas que passaram pelo Festival SGB já foram mobilizadas por ele. Mas ele tem a ambição de ir além. As iniciativas criadas por ele têm como objetivo mobilizar as comunidades a partir das crianças por meio de desafios que possam reequilibrar a Biosfera

Edgard conta que uma de suas motivações para criar um projeto envolvendo as crianças veio a partir dos altos índices de abandono da escola e evasão escolar. Mas foi viajando pelo mundo, em 2015, que teve um insight: “os governos não vão fazer as mudanças que precisam ser feitas. Vai vir da sociedade civil”.

Foi neste momento em que ele resolveu parar o que estava fazendo para achar uma solução que pudesse mobilizar 2 bilhões de pessoas. Foi aí que surgiu a Jornada X, um projeto que coloca as crianças e jovens na liderança das mudanças. Hoje ele acredita que todo mundo pode – e deve! – se movimentar, inclusive os governos, onde também tem gente querendo fazer mais e melhor. 

A jornada continua. E que siga assim pela próxima década!

Leia também

01 novembro 2022
A Bárbara tinha fome de mundo. Ela nunca parou em um só lugar, sua ambição sempre foi de conhecer,...
Ler Mais
01 novembro 2022
"Eu sou o Oswaldo Oliveira, um ser humano que mora no planeta Terra, trabalhando consigo mesmo e...
Ler Mais
01 novembro 2022
Humano. Essa foi a palavra que o Tiago usou para resumir a experiência com o Social Good Brasil...
Ler Mais
01 novembro 2022
Mais para as mães. É por isso que a Thais vem trabalhando desde 2013, quando criou a iniciativa...
Ler Mais
01 novembro 2022
A Tamila acredita seriamente na importância de construirmos futuros mais inclusivos. Atua e tem...
Ler Mais

Leia também

Bárbara era alegria e furacão - com amor e admiração
Para Oswaldo Oliveira, com amor
SGB 10 anos - Reduzindo desigualdades no acesso à educação e assistência social com Tiago Giusti
SGB 10 anos - Qualidade e dignidade na saúde com Thais Ferreira

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support